Marketing

Portuguesa, com certeza! A Shop Charlotte conta a história de Diana

Popularizadas por Jane Birkin nos anos 70, as cestas ganharam, nos últimos anos, um novo fôlego. A moda parece ter chegado para ficar e uma das marcas que tem ganho palco é a Shop Charlotte, ao combinar os materiais tradicionais nesta arte com a pele.

sexta-feira, 17 julho 2020 13:44
Portuguesa, com certeza! A Shop Charlotte conta a história de Diana

 

Foi em 2017 que Diana Martins, em licença de maternidade e com um trabalho – na área financeira – que não a “preenchia profissionalmente”, começou a pensar em criar um negócio próprio. Acabou por se encaminhar para as cestas. Feitas individualmente por artesãos portugueses, combinam materiais naturais como o vime, a palha e o junco com elementos em pele, que lhes dão um ar atual. “Não existem dois modelos iguais”, conta Diana acerca da marca que tem uma estética clean e, atualmente, uma produção anual de mais de 500 malas. Entende, pois, que quem compra uma peça da marca leva um pouco da sua “história”. “E isso não tem preço”, garante.

Portugal, natural

“A ideia inicial ao criar a marca foi reinventar alguns modelos já usados pelos nossos antepassados, mas dando sempre algum toque de modernidade”, revela Diana. Além dos materiais que pertencem à história portuguesa, também as técnicas usadas pelos artesãos fazem parte da tradição. E é aí que reside a portugalidade da marca.

No princípio, era o nome

Milena, Geovanna, Bianca, Bella, Luna, Valentina. São nomes – italianos – de alguns dos modelos da marca disponíveis atualmente. A inspiração surgiu de uma viagem que Diana fez a Roma. Já as peças iniciais foram buscar o nome, naturalmente, a mulheres portuguesas, como Rita, Patrícia, Daniela ou Noémia.

 Buzz

Os influenciadores são parte integrante da estratégia de comunicação da Shop Charlotte. “Trabalhamos com eles, seja no mercado internacional ou nacional, dando mais visibilidade à marca junto do público”, explica Diana. Em Portugal, destaca Ana Garcia Martins (A Pipoca Mais Doce), Alice Trewinnard, Joana Silva e Mia Rose. Internacionalmente, a marca já surgiu no Instagram de Aimee Song, que, com 5,4 milhões de seguidores, é uma das maiores a nível mundial. Para divulgar a marca, foram também estabelecidas parcerias com outras marcas nacionais, com uma identidade de inovação “muito similar”, como a Sienna Inspo, As Deolindas ou Morena Jambo.

 O tal canal

O digital é o canal privilegiado da marca, seja para comunicar, seja para vender. “A loja online de venda ao consumidor final tem tido um excelente desempenho de vendas”, assegura Diana, adiantando, porém, que o trabalho nas lojas físicas – tanto no mercado nacional como internacional – é, “sem dúvida”, “um excelente complemento de vendas e de visibilidade para a marca”.
A exportação tem já um peso acima de 70%, com “perspetivas de aumentar ainda mais”, sendo os principais mercados os Estados Unidos, Canadá, China, Inglaterra, França e Itália. E a ambição passa por “continuar a crescer”, oferecer “modelos diferenciadores” e, “acima de tudo, manter todas as características que a marca tem preservado”.

Best seller

A mala mais vendida é a Milena Creme, um dos primeiros modelos pensados aquando da introdução de pele nas cestas. A justificação? Ser uma peça muito clean sem grandes acessórios. “Talvez por isso, seja a nossa best seller, uma vez que conseguimos um resultado final com design e, sobretudo, com uma excelente qualidade”, diz Diana.

 

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing