Marketing

As marcas têm de ouvir. É o que defende a Luísa, em nome da Henkel

“A sociedade lembrar-se-á das empresas que melhoraram o propósito das suas ações face à situação que invadiu tudo e todos.” É nisto que acredita a diretora-geral de Laundry & Home Care da Henkel Portugal, Luísa Oliveira.  Adverte, porém, que falar não significa necessariamente um impacto positivo.

quarta-feira, 19 agosto 2020 11:54
As marcas têm de ouvir. É o que defende a Luísa, em nome da Henkel

 

E, por isso, defende que é preciso que “as empresas identifiquem a mensagem certa e que, dentro da incerteza geral, ouçam todas as partes interessadas na sua estrutura antes de tomar qualquer tipo de decisões”. Isto para que as ações implementadas sejam o reflexo dos valores da marca.

“Agora, mais do que nunca, tanto colaboradores, como a sociedade em geral, esperam que as empresas sejam conscientes e interventivas face aos problemas que nos preocupam”, afirma, considerando que a pandemia enfatizou a importância do compromisso social para criar confiança nas empresas e no sucesso a longo prazo. Assim, entende que cada marca deve ter um propósito e colocar as pessoas no centro de cada uma das suas ações e iniciativas: obter, analisar e dar sentido aos dados recolhidos para conhecer ao detalhe os seus clientes e ter a capacidade de transmitir os valores com os quais eles se identificam como empresa.

“Acreditamos que, agora, as marcas necessitam estar lado a lado com a sociedade. As nossas marcas continuaram a investir em comunicação, como foco especial na criação de conteúdos relevantes para o consumidor neste momento, especialmente nos meios digitais, assegurando uma maior proximidade e real sentimento de que a marca está com as pessoas. Nestas circunstâncias excecionais, foi necessário um grande esforço das nossas equipas para estarmos mais próximos dos nossos clientes e consumidores, sublinhando que somos parte integrante das suas vidas e que partilhamos um propósito comum”, enquadra.

No que respeita à Henkel, Luísa Oliveira declara que o compromisso social é, “desde sempre”, uma parte fundamental da empresa e está completamente integrado nos valores corporativos.  E faz notar que, juntamente com colaboradores, ex-colaboradores, clientes e consumidores, a Henkel e a Fritz Henkel Stiftung apoiam diversos projetos sociais sustentáveis em todo o mundo, prestando suporte a atividades nas áreas das carências sociais, educação e ciência, bem-estar e saúde, artes e cultura, e meio ambiente. No caso concreto do desafio sem precedentes colocado pela pandemia de Covied-19, a empresa lançou um programa global de solidariedade, que inclui doações financeiras, doações de produtos, produção de desinfetantes para as mãos nas fábricas, bem como a implementação de medidas de segurança continuas para os funcionários, entre outras medidas.

Recorda que a prioridade foi, precisamente, a saúde e a segurança dos colaboradores e parceiros: “Antes do confinamento decretado pelas autoridades, estabelecemos protocolos e implementámos medidas restritivas a nível interno e ao longo da nossa cadeia de valor como, por exemplo, a utilização de material de proteção individual como máscaras e luvas, controlo de temperatura antes de entrar nos centros de trabalho, aumento da frequência de limpeza e desinfeção de todas as áreas, alterações nas formas de trabalhar para evitar ao máximo o contacto entre pessoas, redução ao máximo a presença física de pessoas em todos os cargos que foi possível, entre outras”.

Prioritário foi também assegurar a continuidade dos negócios. “Foi necessário um esforço adicional por parte das nossas equipas para manter as operações a funcionar numa situação excecional”, sublinha, deixando um elogio: “O sentido de responsabilidade das nossas equipas foi, e continua a ser, exemplar, e é, para mim, um orgulho liderar a unidade de negócios de Laundry & Home Care em Portugal e fazer parte da Henkel.” “Nesta situação sem precedentes, a nossa principal responsabilidade perante a sociedade é, por um lado, continuar a fornecer os nossos clientes para que produtos de limpeza e higiene pessoal, bem como adesivos para a indústria de primeira necessidade, cheguem às famílias portuguesas, como habitualmente, e, por outro lado, continuar a apoiar as comunidades em que operamos”, partilha.

Na ótica da Henkel, os hábitos dos consumidores mudaram devido à crise sanitária e isso terá forte influência no consumo no futuro. O que leva Luísa Oliveira a afirmar que “marcas fortes e com um posicionamento claro relativamente à sustentabilidade, à responsabilidade social e, também, ao seu desempenho a nível económico, e com uma ligação genuína às pessoas, terão um papel ainda mais importante no futuro”. É que – diz – “as marcas sustentáveis, transparentes, humanas e alinhadas com os seus valores estão entre as prioridades dos consumidores.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing