Marketing

Sustentabilidade e eficiência estão na mente da LG. Diz o Hugo

Trilhar o seu caminho rumo a um mundo mais verde, com “enormes preocupações” ao nível da proteção ambiental e da eficiência energética, é uma prioridade e um compromisso na LG Portugal. A marca apresenta um conjunto de soluções integradas, que são pensadas e construídas numa base sustentável, assegura o Marketing Director, Hugo Jorge.

terça-feira, 18 maio 2021 12:23
Sustentabilidade e eficiência estão na mente da LG. Diz o Hugo

“Ao nível nacional, é inegável que, cada vez mais, os consumidores portugueses procuram equipamentos sustentáveis, tanto para a carteira como para o ambiente”. As palavras são do Marketing Director da LG Portugal, Hugo Jorge, para explicar que, por essa razão, a marca tem vindo a criar produtos que refletem as necessidades e preferências específicas, chegando, muitas vezes, a antecipa-las.

E como é que isso é possível? Graças a uma “enorme consciência” de que o seu negócio passa por criar tecnologia capaz de mudar a vida das pessoas e das comunidades em que se insere, melhorando, efetivamente, o dia a dia dos consumidores. Além disso, sabe que é responsável por, “através de equipamentos energeticamente eficientes e inteligentes, que se adaptam na perfeição aos desafios do quotidiano”, ter um impacto positivo na natureza e nos níveis de poupança dos seus clientes.

Para a LG, a sustentabilidade é uma prioridade, há mais de 25 anos, tanto ao nível internacional, como local. A sua política de responsabilidade social e ambiental remonta a 1994 e, desde então, tem vindo a implementar sistemas de gestão ambiental ao longo do ciclo de vida dos produtos – do desenvolvimento até ao fim da sua utilização –, de forma a reduzir a pegada ecológica e cumprir com a que revela ser a sua maior missão: “criar um sistema de gestão e um portefólio que assegurem um ambiente melhor”.

Hugo Jorge conta que, nesse sentido, “uma das maiores inovações” da empresa surge no momento da produção dos equipamentos eletrónicos, em que aposta numa “forte política de eco design” e numa montagem que venha a permitir, na altura do desmantelamento, a reciclagem de grande parte dos componentes. “Também o desenvolvimento das embalagens é avaliado tendo em conta o cumprimento de 22 pontos-chave, tais como a redução do volume e peso, a otimização da eficiência logística e o uso mínimo de substâncias perigosas, de forma a minimizar os seus efeitos ambientais”, explica.

É hoje “absolutamente incontornável” o papel que a tecnologia desempenha no conforto da família, mantendo a sustentabilidade do lar. Por isso, junta-se à conversa a eficiência energética, algo com a qual a marca diz estar comprometida, sendo, assim, outro dos pilares da sua atividade, “pois permite que os consumidores reduzam a sua pegada ambiental, tanto no consumo de eletricidade como no de água”. Por essa razão, os equipamentos são desenvolvidos tendo “sempre” a sua eficiência em mente. São exemplos: as máquinas de lavar equipadas com o “TurboWash 360”, que podem ajudar a reduzir o consumo de água; os sistemas de ar condicionado, que, através do “LG Dual Inverter Compressor”, oferecem temperaturas mais baixas rapidamente, sem sacrificar os níveis de eficiência; ou os frigoríficos, que contam com um conjunto de tecnologias que ajudam, “e muito”, a manter os alimentos nas condições corretas de conservação durante mais tempo. Nestes últimos, a marca destaca os “LG InstaView”, que, com apenas dois toques no vidro da porta, permitem que se consiga ver o seu interior, sem necessidade de o abrir.

Mais recentemente, desenvolveu o “Smart Home Energy Package”, que descreve como “o primeiro pacote de energia integrado do mundo”. Inclui todos os principais sistemas necessários para produzir energia renovável e sustentável em casa, e armazená-la para usar mais tarde, quando necessário. “Assim, do telhado para todas as zonas da casa e todos os equipamentos, incluindo as maiores fontes de consumo energético, como os grandes eletrodomésticos da cozinha e até o carro elétrico, a LG apresenta um conjunto de soluções integradas”, afirma o Marketing Director. 

Falou-se de equipamentos e serviços, mas a empresa está ligada, também, a ações e iniciativas ambientais. Em Portugal, tem vindo a desafiar a sociedade a repensar a sua atitude perante o lixo eletrónico. No ano passado, no âmbito da parceria com a ERP Portugal, entidade gestora de resíduos, promoveu um estudo sobre os hábitos dos portugueses em relação ao lixo eletrónico. “Apesar de dois terços da população reciclar os equipamentos que já não utiliza, muitos guardam estes produtos em casa por acharem que ‘ainda pode dar jeito’, impedindo-os assim de ter uma segunda vida. Estes e outros insights do estudo levaram-nos a tomar medidas com uma atuação mais efetiva”, conta. Um exemplo foi a aliança à Startup Lisboa, em que desafiaram as empresas nacionais a apresentar ideias e projetos que venham ajudar a dar resposta à problemática do e-waste.

Ainda nesse campo, lançou, em fevereiro, uma campanha que pretendeu sensibilizar, exatamente, para esse tema dos Resíduos dos Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE). O projeto contou com a participação do mágico Luís de Matos, do youtuber Gabriel Ferreira e do humorista Luís Filipe Borges. “Partimos de um conceito bastante original e totalmente digital que, através de divertidos e surpreendentes truques de magia, passou importantes mensagens sobre o panorama do lixo eletrónico em Portugal, demonstrando como os REEE podem e devem ter uma segunda vida através da sua reciclagem”, diz.

E “magia” é o que pretendem fazer também com as operações. Em linha com a estratégia de sustentabilidade e o objetivo de neutralidade carbónica, a LG afirma estar a reduzir as emissões de carbono das suas operações globais, através da implementação de várias iniciativas, para que consiga alcançar um “ambicioso objetivo”: reduzir as emissões de carbono nas unidades de produção de cerca de dois milhões de toneladas, registados em 2017, para 960.000 toneladas, até ao final de 2030. Para tal, está a aumentar as suas instalações tecnológicas, de “elevada eficiência”, dedicadas à redução de gás com efeito de estufa, o que vai diminuir a criação de emissões durante o processo de produção. Por outro lado, encontra-se em processo de expansão das instalações de energia renovável, usando produtos de energia solar e outras soluções de tecnologia B2B, como máquinas frigoríficas – chillers – e sistemas de gestão de energia (EMS).

No seguimento dessa estratégia, conta, desde o início do ano, com novas estruturas organizacionais, concebidas para “promover um nível de inovação, com valor acrescentado para o cliente, e incentivar um pensamento disruptivo, focado na sustentabilidade e eficiência”. Entre as novas iniciativas, incluem-se: o Disruptive Technology Innovation Lab e o Disruptive Product Innovation Lab, que combinam elementos de I&D com o planeamento de produtos futuros; o Display Lab, que se concentrará na aceleração da tecnologia Micro LED, para um desenvolvimento de negócio mais rápido; o iLab, que desenvolverá tecnologias criativas; um Innovation Center na América do Norte; e o Business Incubation Center, para adotar novas ideias e ajudar a transformá-las em negócios. Por sua vez, a fim de responder de forma otimizada às necessidades do consumidor, a LG vai abrir um Customer eXperience (CX) Lab, que integra aspetos do Advanced Design Lab, e concentrar-se no estudo do efeito do design na forma como os consumidores interagem com os produtos.

“Inovação para uma vida melhor” é a missão pela qual a marca rege o seu trabalho diário, em todo o mundo. Um lema que diz incorporar em todos os produtos, de forma a fazer uma diferença efetiva na vida dos consumidores.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

bt nl

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing