Marketing

Alencastre.net celebra 20 anos de digital. Conta o Ricardo

Nasceu na Madeira, mas hoje conta com escritórios em Lisboa e Copenhaga. Com um portfólio de marcas que inclui Delta Cafés, FNAC, Unilever, Gradiva e Sonae Capital, a agência de marketing digital Alencastre.net celebra 20 anos de atividade e estivemos à conversa com Ricardo Alencastre, CEO, para falar sobre a evolução do digital – e da própria agência – ao longo destas duas décadas.

terça-feira, 27 julho 2021 13:22
Alencastre.net celebra 20 anos de digital. Conta o Ricardo

Briefing | A Alencastre.net celebra 20 anos. O que tem para comemorar?

Ricardo Alencastre | Celebramos duas décadas de crescimento e inovação. Começámos na Madeira, em 2001, e desde então foi um caminho para conquistar a confiança das marcas. Neste percurso, destaco o carácter resiliente e criativo de toda a equipa, que nos diferenciou no mercado e que tem sido determinante para que decisores de marketing e IT nos confiem os seus projetos.

Como se distingue a Alencastre.net?

Apresentamos uma combinação singular de valências: aliamos a especialização em marketing digital e otimização de performance com um know-how muito tecnológico. Esta união torna-nos capazes de implementar soluções completas e à medida daquilo que as marcas realmente necessitam num mundo cada vez mais digital.

Como surge a sede em Copenhaga?

Após a crise de 2008, observámos uma certa estagnação do mercado português e decidimos apostar na internacionalização. Copenhaga foi uma escolha óbvia e natural; já tínhamos uma rede de parcerias e contactos no mercado dinamarquês.

Que frutos resultaram dessa internacionalização?

Foi positivo. Permitiu-nos crescer ao ponto de fazermos o spin-off da área de desenvolvimento e criarmos a Share IT (consultora do grupo especializada no desenvolvimento de software). Esta alteração permitiu-nos especializar ainda mais no marketing digital, resultando numa oferta de serviços mais robusta e completa, sem perder a nossa capacidade tecnológica.

O marketing digital tem mudado ao longo do tempo. O que destaca nestes últimos 20 anos?

Se, em 2001, o nosso foco passava por defender a relevância e as potencialidades de uma presença digital, hoje em dia isso já nem é uma questão, mas sim a base estratégica de crescimento das marcas. A própria oferta da agência também evoluiu, com mais foco na otimização e implementação de estratégias de digitalização para as empresas, preparando-as para uma economia digital. Atualmente existe uma ligação muito mais estreita e estratégica entre a agência e as marcas com que trabalha.

O e-commerce tem sido a palavra-chave nesta era digital. Também observa uma evolução desta componente?

Sem dúvida, principalmente nos últimos dois anos. As marcas estão a investir cada vez mais em e-commerce. Este investimento passa não só por implementar soluções tecnologicamente mais robustas, como pela otimização da sua comunicação e conversão, junto dos seus consumidores. No entanto, o e-commerce não foi a única área em que observámos este crescimento. Existe digital para além do e-commerce e a transformação digital é uma área que permite às marcas otimizarem os seus processos de negócio. Temos igualmente sentido um foco neste processo de transformação por parte dos decisores de marketing e IT com quem trabalhamos.

Destes 20 anos, há projetos marcantes a destacar?

É impossível listar com justiça todos os projetos que nos motivaram e fizeram superar as expectativas. Mas não posso deixar de fazer referência ao projeto que iniciámos com a Delta Cafés, em 2007, e que nos trouxe notoriedade e visibilidade. Um outro projeto marcante nos primeiros passos da agência foi a série de portais e canais temáticos que desenvolvemos para a CPLP (um parceiro há mais 10 anos).  Recordo também a Agência de Viagens Abreu e a Hoti Hotéis, que têm sido clientes com os quais temos mantido uma parceria estreita ao longo dos anos. Mais recentemente, estamos envolvidos em projetos de transformação digital para a FNAC e desenvolvemos um desafiante projeto para a The Editory Collection Hotels, da Sonae Capital.

Como observa o futuro do digital?

Esta é uma área em constante evolução, sempre com novas tendências e oportunidades de otimização. É ousado fazer prognósticos, mas acreditamos que o desafio será encontrar soluções através da criatividade e da inovação. Independentemente do que o futuro nos reserva, acreditamos que este passará pelas marcas investirem na digitalização dos seus processos de negócio e numa comunicação mais próxima dos seus consumidores.

O que podemos esperar da Alencastre.net para os próximos 20 anos? Qual a ambição?

É difícil antecipar como estará o mundo digital daqui a 20 anos, mas iremos continuar a acompanhar a evolução digital para fazer corresponder os nossos serviços aos desafios e tendências de mercado, tal como o fizemos até à data. Atualmente, estamos inseridos num grupo de empresas a nível internacional. Tal permite-nos tirar partido das sinergias entre as empresas do grupo e focarmo-nos no mercado nacional. A Alencastre.net nasceu com o digital, pelo que continuará a acompanhar esta evolução e a inovar junto das marcas e respetivos consumidores.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 

bt nl

2050.Briefing

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing