Media

RTP Informação promete “mais, melhor e diferente”

logo_RTP_informao
Vê-se agora cumprida a promessa de “refundar” a RTPN, com a apresentação da nova “cara” do canal. A partir de segunda-feira, dia 19 de Setembro, vai para o ar a RTP Informação e a expectativa para o próximo ano é ficar a par do canal noticioso líder, a SIC Notícias.
terça-feira, 13 setembro 2011 14:30


Nuno Santos, director de informação da RTP, explicou que a mudança formal, “a nível dos conteúdos e da dinâmica”, surgiu da associação que os portugueses fazem entre a RTP e informação. “Queremos fazer mais, melhor e diferente”, frisou o director de informação, acrescentando que os 47 programas de informação que a RTP detém reflectem “a vitalidade da informação do serviço público”. Nuno Santos afastou os receios de falta de espaço em Portugal para mais um canal de 24 horas de notícias, explicando que esta confirmação foi dada pelos telespectadores.

O grande objectivo, que se traduz nas palavras-chave proximidade, actualidade e notoriedade, é conquistar “mais do que audiência, influência”, de acordo com Luís Castro, sub-director de informação da RTP1. Uma das promessas da RTP Informação é “formar opinião”, “com protagonistas que o público conhece”: “O nosso horizonte era colocar no ar, no prazo de um semestre, um canal com a nossa vantagem na informação”, frisou Nuno Santos. Nomes como Moita Flores, Marinho Pinto, Emídio Rangel, Herman José ou Nilton, entre muitos outros, fazem parte da nova grelha de programação do canal de notícias da estação pública.

O canal remodelado subsiste da produção conjunta das redacções de Lisboa, Porto, antenas internacionais e produções externas e tem a pretensão, de acordo com Luís Castro, de ser “muito mais do que um canal de notícias”: a aposta passa por fidelizar os rostos dos profissionais de informação e apostar em novos recursos de interacção com o público, como as redes sociais.

Questionado sobre o investimento necessário à remodelação de um canal, Nuno Santos explicou que, através da utilização de recursos internos, a equipa da estação pública trabalhou numa transformação gráfica. “O trabalho dos últimos seis meses foi olhar para aquilo que era a RTPN, para os conteúdos que produzia e chegámos a esta fase do ano com uma verba, na ordem dos 300 mil euros, poupada em relação àquilo que era o investimento inicial destinado ao canal”, esclareceu o director de informação. “A RTP cumpriu [a sua função] e esteve onde estava a notícia, mas temos feito um exercício de contenção de gastos”, revelou Nuno Santos, apelidando também de “feliz coincidência” o facto de a reestruturação do canal ir de encontro à relevância que o actual governo dá a esta medida.

Começando pela aposta na transmissão em simultâneo do programa “Bom Dia Portugal” no canal principal e no noticioso, a grelha de programação da RTP Informação pretende dar espaço às mais diversas áreas, ao debate e à participação do público, através de rostos que os portugueses já conhecem. Formatos como “Grandes Planos”, “Justiça Cega?”, “Trio D’Ataque”, “Mais Valias” ou “Ordem do Dia” reforçam a aposta em várias áreas, como a cultura, justiça, desporto, economia ou política, respectivamente. O programa “4º Poder” introduz a participação e debate entre jornalistas de outros meios de comunicação e “Moeda de Troika” aparece como um espaço de debate informal e descontraído, com Herman José e Rita Ferro.

JRM

Fonte: Briefing
terça-feira, 13 setembro 2011 16:26

bt nl

2050.Briefing

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing