Media

Fox Portugal agrega área comercial do canal

Assuno_Loureiro
A partir de amanhã, 1 de Outubro, a Fox tem uma nova postura no mercado português. Ontem, no Lx Factory, em Lisboa, organizou o The Studio Fox, um evento do canal, para, não só apresentar uma réplica dos estúdios das séries, como também, e principalmente, para anunciar esta “nova aventura”: vender a sua própria publicidade, referiu Assunção Loureiro, country manager da Fox Portugal.
sexta-feira, 30 setembro 2011 10:27


A iniciativa apenas se dá nesta altura, "simplesmente, porque era o momento ideal”, frisou Assunção Loureiro. “Há uma maturidade do negócio que se consegue, não só pela nossa performance enquanto operadores de canais de cabo, mas também pelo próprio mercado”, explicou ao Briefing a country manager da Fox Portugal.

Com a integração da publicidade, o canal de séries passa, assim, a vender os seus próprios canais. “Agregamos aquilo que é o nosso inventário e trazemos para dentro de casa a gestão dos nossos assets”, evidenciou Assunção Loureiro.Jorge_Padinha_FOX

“O facto de termos tantos canais faz com que consigamos segmentar a nossa publicidade”, referiu em conversa ao Briefing Jorge Padinha, director comercial da Fox Portugal. O intuito é “criar cada vez mais e melhores oportunidades para quem vê a Fox”, adiantou.

Dentro do mundo das séries, a Fox consegue “falar” para diferentes nichos de diferentes idades, passando conteúdos distintos, o que, de certa forma, facilita a definição do público-alvo e, assim, ajuda o anunciante a gerir o budget que quer investir, colocando-o no sítio certo. “Pretendemos optimizar o investimento publicitário através de todas as ferramentas que temos a nosso favor. Não só aquelas que são visíveis mas também no esforço que estamos a ter em montar uma equipa completamente direccionada para esta nova etapa”, explicou Jorge Padinha.

A partir de agora, a Fox vai ter um responsável a supervisionar os resultados da campanha que está a ser transmitida, percebendo se a mesma está ou não bem integrada. Deste modo, quando a iniciativa terminar, o objectivo é que tenha dado um bom resultado e não se tenha de compensar os clientes, até porque, como salientou Assunção Loureiro, “compensar a seguir pode já não interessar [ao cliente] porque já teve o seu timing”.

Em Portugal há seis anos, a Fox começou com “pezinhos de lã”, tendo vindo a superar as expectativas da equipa inicial, da qual a actual country manager fez parte. “Temos um backup internacional muito forte que eu acho que é muito bom e, obviamente, há um know how muito grande em fazer canais de televisão”, referiu Assunção Loureiro.

CCB

Fonte: Briefing
sexta-feira, 30 setembro 2011 15:04

bt nl

2050.Briefing

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing