Media

Worldcom revela tendências dos media para 2012

Worldcom revela tendências dos media para 2012
O relacionamento entre os media e as agências, assim como o de estas com o público-alvo tem vindo a sofrer alterações. Assim, o departamento de relações públicas da Worldcom, rede mundial de agências de comunicação e relações públicas, pediu aos parceiros para partilharem ideias sobre a evolução e tendência do papel da comunicação social.

sexta-feira, 20 janeiro 2012 12:20

Deste modo, a empresa pretendia saber qual a opinião dos pares relativamente ao papel da comunicação social enquanto ferramenta de relacionamento com o consumidor, assim como as tendências que podem vir a mudar a forma como estes são incorporados nas campanhas de sensibilização deste ano.

"As Relações Públicas para o grande consumo, como todas as formas de relações públicas e marketing, estão a mudar através do olhar atento da comunicação social e de outros canais online perturbadores da comunicação", afirmou Will Ostedt, presidente do departamento de práticas do consumidor da Worldcom e vice-presidente do departamento de marketing da Pollack PR de Los Angeles.  "Os consumidores querem apenas receber a comunicação que lhes interessa - tudo o resto é ignorado ou desconsiderado.  O futuro do mercado das Relações Públicas passa por encontrar novas maneiras de tornar as mensagens relevantes para os consumidores, alcançando-os através dos canais mais assertivos."

Os parceiros do EMEA, Ásia Pacífico e regiões da América chegaram a uma conclusão unânime ao apontar cinco tendências emergentes na comunicação social, as quais afetarão significativamente as suas abordagens ao consumidor: "Localização", houve uma mudança para programas de comunicação social mais localizados de forma a se poder acompanhar a par e passo o consumidor; "Filtragem de ruído", na medida em que os clientes estão a aprender a maximizar as ferramentas dos meios sociais para responder às suas necessidades pessoais, começando por eliminar o ruído, cabendo às agências passar conteúdos relevantes para um público mais identificado; "Profundidade em detrimento de amplitude", com o início dos meios socias os clientes lutavam para alargar as suas redes sociais, esforçando-se por angariar o maior número de amigos e seguidores sem respeitar as barreiras de privacidade nem os seus interesses e sistemas de crenças, mas o consumidor começa agora a limitar o seu relacionamento com as pessoas e com as marcas que melhor se conectam com o seu estilo de vida pessoal, confiando-se a redes sociais de nicho adaptadas aos seus interesses; "Telemóvel é o novo PC", com o aumento dos telefones inteligentes, os consumidores estão agora constantemente conectados, o que obrigada as marcas e produtos a precisarem também de estar sempre conectados em todos os momentos e a interagir em tempo real com os clientes; "Aparecimento do Twitter", aumento da atividade dos utilizadores naquela rede social.

"Com a evolução dos meios sociais em 2012, os profissionais da comunicação têm, agora, uma oportunidade e uma maior competência para conduzirem as empresas a edificarem um bom relacionamento com o consumidor em detrimento de serem meramente transmissores de conteúdos", acrescentou Aurora Doty, co-presidente do departamento de prática do consumidor da Worldcom e vice-presidente/sócio da Linhart Public Relations. "Com o começo de um novo ano, encorajamos todos os profissionais de comunicação a continuarem a apostar e desenvolver as análises dentro das suas empresas e a maximizar os canais que permitem, agora, que o relacionamento com o consumidor seja mais autêntico".

Fonte: CV&A

quinta-feira, 26 janeiro 2012 11:57

bt nl

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing