Media

2028: o ano do fim dos jornais impressos em Portugal

 2028: o ano do fim dos jornais impressos em Portugal

Os jornais impressos acabarão em Portugal ou tornar-se-ão insignificantes no ano de 2028, refere um estudo da Future Exploration Network, uma consultora norte-americana de estratégias de media.

sexta-feira, 16 agosto 2013 12:05

A consultora elaborou uma linha do tempo e cruzou fatores globais com locais para chegar ao ano do fim dos jornais impressos em todo o mundo. O primeiro país onde o papel vai desaparecer ou tornar-se insignificante é nos EUA, em 2017. Em 2019, será a vez do Reino Unido e da Islândia.

No ano previsto para o fim dos jornais impressos em Portugal também a Áustria, a Eslováquia, a Grécia e os Emirados Arábes Unidos verão o papel chegar ao fim. O estudo indica que a Argentina, em 2039, será o último reduto do papel, embora existam alguns países que só verão os jornais em papel desaparecerem depois de 2040.

As mudanças na publicidade, a performance dos smartphones e dos tablets, a atualização e modernização dos motores de busca e os custos de impressão estarão na origem do fim das edições em papel dos jornais. A demografia, a tecnologia, as mudanças de hábitos dos consumidores e o desenvolvimento económico também são apontados como fatores-chave para o fim do impresso.

Fonte: Blue Bus e Future Exploration Network

bt nl

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing