Media

Fotos, vídeos e redes sociais. O novo jornalista é multicanal

Há cada vez mais pressão junto dos jornalistas para que produzam histórias multimédia e obtenham bons resultados nas redes sociais. Esta é uma das conclusões de um estudo de media desenvolvido a nível mundial pela Public Relations Global Network (PRGN).

quinta, 30 novembro 2017 11:16
Fotos, vídeos e redes sociais. O novo jornalista é multicanal

 

“Descobrimos que, embora os líderes empresariais se possam adaptar a um panorama de media em rápida mudança, há uma grande pressão adicional sobre os profissionais de media para colaborar em canais adicionais”, diz Leeza Hoyt, presidente da agência The Hoyt Organization da PRGN, que desenhou o estudo e coordenou a sua implementação com mais de 50 membros da rede.

Segundo o relatório da rede internacional de agências de relações públicas independentes, é cada vez mais pedido aos jornalistas para fornecer conteúdo visual: a 49,1% são pedidos conteúdos vídeo e a 29,1% fotografias. Também os requisitos de social media têm aumentado significativamente, com 55% a publicarem no Facebook, 47,3% no Twitter, 20% no LinkedIn e 14,6% em blogues. Apenas 57,3% dos inquiridos fornecem somente conteúdo impresso, um número que era de 67,6% há dois anos. Já os estes profissionais solicitados para fornecerem conteúdo online permanecem praticamente inalterados nos 89%.

As redes sociais não são, porém, a primeira fonte de preparação para entrevistar CEO, mas é uma das opções para 21% dos inquiridos. O estudo revela que a preferência vai para notícias antigas (86,7%) e para o website da empresa (75,2%), seguida da informação fornecidas pela agência de PR (63,7%) e do Google (57,5%).

Para determinar como é que avaliam se um CEO é uma fonte qualificada e credível para a entrevista, 85% analisa o conhecimento da indústria ou do mercado, 53% considera o seu histórico profissional, 41% analisa notícias antigas e 40% avalia a personalidade do CEO.

Quando se trata da vontade de os jornalistas realizarem uma entrevista por escrito - muitas vezes a preferência de muitos clientes de relações públicas - a pesquisa indica que 33% dos jornalistas nunca realizam entrevistas por email e 62,5% realizaram-nas em determinadas situações, sendo essa a forma preferencial para apenas 4,5%.

"O objetivo da PRGN passa por dar aos nossos membros e aos seus clientes informação atualizada de como os jornalistas e os bloggers abordam os seus trabalhos e consideram as suas fontes", afirma a presidente da PRGN, Christina Rytter. "Como resultado, as agências podem preparar melhor os nossos clientes, dando-lhes uma apreciação mais ampla das pressões e processos que os profissionais de media enfrentam diariamente".

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing