Media

Lucro da Impresa cresce 82% à custa de cortes na despesa

Lucro da Impresa cresce 82% à custa de cortes na despesa
O grupo Impresa aumentou o seu lucro em mais de 82 por cento nos primeiros nove meses deste ano relativamente ao mesmo período do ano passado, tendo obtido um resultado de 249 mil euros.
domingo, 29 novembro -0001 23:23
Apesar de as receitas consolidadas terem diminuído em quase 11 por cento, o grupo liderado por Francisco Pinto Balsemão registou "o melhor terceiro trimestre de sempre, com resultados líquidos de 2,4 milhões de euros", refere o grupo nas contas divulgadas na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

No mesmo período de 2008, a Impresa obteve um prejuízo de 4,9 milhões de euros.

O crescimento foi conseguido sobretudo graças a uma redução dos gastos com empresas entretanto alienadas e com os custos operacionais.

A empresa registou uma descida de 8,6 por cento nos custos, que passaram para os 163,4 milhões de euros.

De acordo com as contas apresentadas, a descida dos gastos foi conseguida através dos "vários processos de reestruturação, realizada em 2008, e o controlo dos custos implementado em 2009".

Este ano, a Impresa alienou a IPlay e a New Media e adquiriu 40 por cento da Lisboa TV, passando a deter a totalidade da empresa e reduzindo os interesses minoritários. Além disso, vendeu ainda a produtora TDN e a empresa de traduções e legendagem Dialectus.

Quanto às receitas, a redução aconteceu sobretudo na publicidade, que diminuiu 20,7 por cento, para 97,4 milhões de euros, mas também na área de multimédia, onde os proveitos caíram 22,6 por cento, para 10,6 milhões.

No entanto, a Impresa conseguiu melhorar a facturação com os canais por subscrição (SIC Notícias, SIC Radical, SIC Mulher) com mais 15,8 por cento, e com as vendas de exemplares das suas publicações (mais 12 por cento).

De acordo com a empresa que detém a SIC, o Expresso, a Visão e a Exame, entre outros títulos, estes resultados antecipam "o regresso aos lucros estimado para o último trimestre".

“O nosso plano de reestruturação começa a dar frutos", adiantou o presidente do grupo em comunicado, sublinhando o facto de a Impresa ter alcançado lucros "três meses antes do previsto".

"Estes factores bastante positivos são motivo de orgulho e quero agradecer o empenho de todos os nossos colaboradores para a prossecução destes resultados”, acrescentou.

Fonte: Lusa

bt nl

2050.Briefing

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing