A Carolina Curado adorna este Made In

Está há 12 anos a adornar as portuguesas com anéis, brincos, tiaras e colares handmade. É a marca de joalharia nacional que vai buscar o nome à sua criadora: Carolina Curado.

A Carolina Curado adorna este Made In

Obsessão pela criatividade, sempre com o desejo de fazer mais e melhor. É assim que Carolina Curado descreve a marca que criou, em 2012, logo após terminar o curso de joalharia. “Foi uma extensão natural que fez sentido para dar seguimento a uma paixão muito antiga, a joalharia”, diz. Dar o seu nome à marca foi, pois, natural. O seu objetivo sempre foi o de ter o maior cunho pessoal possível nas criações, que “as peças fossem reconhecíveis mesmo sem a marca lá”. 

Desde sempre, conta, o mais importante foi garantir a criatividade das peças e a qualidade na produção, que na altura era feita exclusivamente por si também. A comercialização foi uma consequência desse trabalho, diz. Em 2015, dá-se um ponto de viragem: Fátima Reis junta-se como sócia. “Com formação e larga experiência profissional em Marketing e Comunicação, o seu ponto de vista único trouxe um dinamismo e profissionalismo à marca que a fez crescer desde então”, sustenta a criadora. Nessa altura, ponderaram a mudança do nome, mas concluíram que já havia “um capital e um valor de marca que se perderia na mudança e zero vantagens”. E manteve-se Carolina Curado.

Dupla unida

O maior ponto forte da marca, garante Carolina Curado, é o menos visível para o público: “Eu e a Fátima somos muito complementares, respeitamos imenso a opinião uma da outra. Temos pontos de vista semelhantes e quando não o são sabemos ouvir e construir em cima disso, sempre para melhorar”. Ainda que cada uma tenha a sua área de intervenção específica, as decisões mais importantes são tomadas em conjunto. A ambição, essa, também é a mesma: continuar a crescer e ser cada vez mais relevantes, garantido sempre “o melhor produto final” para quem compra uma joia da marca. “Esse respeito pelos nossos clientes é uma forma motivadora e orientadora para nós, sem nunca perdermos o foco na nossa linguagem individual enquanto marca que tanto nos caracteriza”, adianta.

Portuguesa, claro

Ainda que, em termos estéticos, a marca não remeta para as linhas clássicas da história da joalharia nacional, mantem as dimensões arrojadas e fortes que sempre a caracterizaram. Criatividade, qualidade e proximidade – tanto no produto como no serviço – são os valores da marca, e é neles que reside a sua portugalidade. Fátima Reis afirma mesmo o orgulho de terem conseguido desenvolver este projeto 100% português e de contribuir para a riqueza do País. 

Com arrojo

São mulheres modernas dos 18 aos 99, urbanas, independentes, cosmopolitas, polivalentes, seguras de si, que quebram barreiras. “Exemplos de superação, tanto de força como de delicadeza”. Eis o perfil de clientes e a essência que a marca procura imprimir a cada peça. “Inspiradoras, empreendedoras, independentes, gostam de ter peças únicas e de surpreender tudo e todos com uma statement piece super arrojada”.

Étnico é natural

A criadora vai buscar inspiração à natureza: “Temos uma componente muito forte de formas animais e florais nas nossas peças, que exploramos quase sempre nas nossas coleções”. Reconhece, porém, um fascínio pela joalharia étnica e antiga. Adora usar formas e inspirações desses períodos, mas dar um twist contemporâneo com a linguagem e personalização Carolina Curado. “Brincamos com texturas e cores, tanto pela cravação de pedras como esmalte. Gostamos de trabalhar com diferentes volumetrias para criar peças diferentes e cheias de identidade”, revela.

Peça especial

A primeira tiara que criou é a peça mais especial. “Era uma ambição antiga e permitiu-me explorar uma dimensão e tipo de peça que até então ainda não tinha feito”, conta a criadora. “Adoro criar peças maiores, porque sinto que tenho mais espaço para criar nelas, para tirar partido de todos os detalhes que gosto de incluir nas nossas peças.

Além-fronteiras

A exportação está incluída na estratégia de crescimento para os próximos anos, com o país vizinho no topo das prioridades. Para já, a marca está presente em dez pontos de venda, entre Madrid, Barcelona e La Corunha. “Espanha faz-nos todo o sentido, porque temos mais em comum do que se pensa e os consumidores respondem da mesma forma às mesmas dinâmicas”, justifica Fátima Reis, adiantando que é uma presença que querem replicar em Inglaterra. “Pretendemos ter a mesma presença em Inglaterra. Além destes dois mercados, a marca tem “felizes parcerias” no mercado belga, alemão e norte-americano.

Marca feliz

Neste percurso de 12 anos, a confiança e a felicidade estiveram sempre presentes, diz Carolina Curado. “Queremos uma marca robusta, com uma proposta de valor transparente, inspiradora e original, que todas estas características passem sempre para o produto, para a comunicação”, comenta, defendendo que isso só se concretiza no reconhecimento e no feedback do consumidor. “A nossa maior ambição é garantir, à medida que crescemos, que este equilíbrio tão delicado se mantenha por muitos e muitos anos”.

Sofia Dutra

 

Sexta-feira, 23 Fevereiro 2024 09:12


PUB