A força da família deixa marca no rebranding da Costa Boal

O brasão da família Costa Boal está, a partir de agora, no rótulo dos vinhos deste produtor do Douro. Uma nova imagem que visa honrar a tradição, reforçando a antiguidade da marca, e, ao mesmo tempo, afirmar confiança no mercado.

A força da família deixa marca no rebranding da Costa Boal

Em declarações à Briefing, o CEO da Costa Boal Family Estates, António Boal, dá conta de que este rebranding estava a ser pensado há muito, decorrendo da pesquisa e do levantamento histórico da génese da família: “A nossa origem remonta a 1857, no Douro Vinhateiro, e isso é um legado que não tem preço”, começa por dizer. O brasão que atesta esse passado foi o elemento que indicou o caminho: “a força da antiguidade da marca que se renova de geração em geração adaptando-se e antecipando-se ao mercado”.

A missão foi entregue à Brand Taste, que trabalha com a Costa Boal há 15 anos. À Briefing, a criadora deste estúdio de design lisboeta, Joana Avô, diz que a principal intenção foi destacar a qualidade e a herança familiar da Costa Boal. Especifica que o B (de Boal) foi removido do logótipo e substituído pelo brasão de família. A inspiração para a nova identidade visual foi a própria história da empresa e os valores que ela representa: “O brasão, que agora se tornou no elemento central da marca, simboliza a herança, a honra e a lealdade que sempre foram fundamentais para a família Boal.”

O brasão surge em conjunto com um lettering serifado, que “agrega um toque de autenticidade, nobreza e elegância à marca”. Preto e ouro foram as cores escolhidas para “ajudar a transmitir essa sofisticação”, sendo que o brasão pode assumir outros comportamentos de cor e acabamentos, principalmente na aplicação nos rótulos de vinho.

A designer ressalva, contudo, que “o rebranding foi mais do que uma simples alteração ao logótipo, ele simboliza a vontade da Costa Boal de se conectar com as suas raízes enquanto avança com confiança no mercado”.

Foi no lançamento do Very Very Old Porto e dos últimos vinhos do Douro, em outubro, que António Boal deu a conhecer esta nova identidade. “A importância da antiguidade do apelido e, mais ainda, da ligação umbilical à produção de vinhos faz deste novo grafismo uma peça fundamental para reforçar a marca e os nossos vinhos no mercado nacional e internacional”, sublinha, à Briefing. E remata: “Queremos que transmita segurança, exclusividade e uma curiosidade constante aos nossos apreciadores. A coerência que temos seguido ao longo de geração reinventa-se nesta nova imagem.”

Fátima de Sousa

Segunda-feira, 06 Novembro 2023 11:14


PUB