A opinião de… Carla Guedes

A especialista em comunicação corporativa dá a sua visão sobre a importância da earned media para as empresas.

A opinião de... Carla Guedes

Media conquistada, ou “earned media”, é essencial para as empresas. Desde logo, estamos a falar de credibilidade porque as informações veiculadas são percecionadas como mais credíveis pelos consumidores, uma vez que não são pagas pela empresa para serem divulgadas, o que aumenta a confiança do público na marca.

Por outro lado, estamos a falar de alcance orgânico, ou seja, o conteúdo gerado pelos órgãos de informação chega a um público mais amplo sem custos adicionais para a empresa. Quando um jornal, revista, rádio ou TV partilha informações sobre a empresa, alcança pessoas que de outra forma não teriam sido “conquistadas” pelos esforços (pagos) de marketing.

Estamos a falar de um “aval” independente. Quando um media ou influenciador fala positivamente sobre uma empresa ou produto aumenta a perceção positiva da marca.

Depois, temos ainda o engagement do público. As histórias geradas pelos media originam muitas vezes comentários, partilhas e discussões nas redes sociais, o que contribui para aumentar a consciência critica e o interesse do público na marca.

Outra dimensão é o SEO: a cobertura dos media ajuda a melhorar a classificação nos resultados de pesquisa, fornecendo backlinks valiosos para o site da empresa, concorrendo para a sua visibilidade online e atração de tráfego qualificado.

Em síntese, earned media desempenha um papel crucial na construção da reputação e confiança na marca. No fundo, gera brand awareness e, consequentemente, a marca ganha espaço no mercado.

Este ganho é um método de branding muito mais eficiente e incomparavelmente menos oneroso do que qualquer campanha de marca.

Quer isto dizer que as organizações devem cuidar bem deste tangível bem como de owned media – ou seja, do seu blog, do seu site – para reforçar a sua notoriedade. Para tal devem criar conteúdo interessante, único, autêntico, com propósito, produzir dados relevantes e fazer networking (participar em eventos importantes no seu setor).

Aqui não se aplica a frase “Falem bem ou falem mal, mas falem de mim”. Convém que se fale bem da sua empresa e dos seus produtos ou serviços se quer cuidar da sua marca. Afinal , quanto custa e quanto valem os activos reputação, confiança e integridade?

Carla Guedes, especialista em comunicação corporativa 

Segunda-feira, 12 Fevereiro 2024 11:59


PUB