Bárbara Costa dá boleia à sua Impressão Digital

É feliz à mesa, rodeada das pessoas de quem gosta. Adora experimentar restaurantes novos. Já responder a grupos – pelo menos no WhatsApp – não é para ela. Conheça os gostos mais pessoais da responsável do Marketing da Bolt em Portugal. 

Bárbara Costa dá boleia à sua Impressão Digital

Um objeto indispensável

Gostava de ser um bocadinho mais original, mas estaria a mentir se não falasse no clássico telemóvel. Com o telemóvel tenho tudo ao meu alcance: família, amigos, trabalho, listas, música, podcasts, câmara fotográfica, transportes, comida, receitas…

Um livro memorável

O Alquimista. Quando li, percebi realmente o porquê de ser tão recomendado. É tão desconcertante quanto bom, porque nos faz refletir sobre os nossos sonhos e sobre como a vida nos está sempre a pôr a prova. É certamente um livro que vou querer reler de tempos a tempos.

O filme da minha vida

Não sinto que tenha (ainda) o filme da minha vida, mas filmes de animação vão ter sempre um lugar no meu coração. Recomendo o Coco.

O hobby

Descobrir e experimentar restaurantes novos. Acho que estar à mesa, com boa comida (e bebida) e rodeada de pessoas de quem gosto é mesmo o que me faz mais feliz. E depois também treino para compensar os estragos. Ultimamente ando focada no fitbox.

A série de eleição

Next Level Chef, com o Gordon Ramsay. Na realidade, todas, ou quase todas, as que estejam relacionadas com receitas/comida.

Banda sonora da vida

“Deixa a vida me levar”, de Zeca Pagodinho. Acho que é muito isto.

Um destino inesquecível

Vou dizer dois. Rio de Janeiro, onde fiz um programa de intercâmbio há mais de 10 anos, e Nova Iorque. Não era uma viagem que almejava, mas a oportunidade apareceu e acabei por ir em família. Foi muito bom. Foi surpreendente e arrebatador. Senti mesmo que estava dentro de um filme.

Onde não voltarei

Esta é difícil… Mas diria que existem alguns restaurantes onde não faço questão de voltar.

O carimbo que falta no passaporte

Faltam muitos ainda, mas ultimamente tenho pensado muito em São Tomé e Príncipe. Parece incrível e tenho reviews de amigos que me confirmam essa ideia. 

O recanto em Lisboa

Zona ribeirinha, ao pé do MAAT. Desde que me mudei para Belém que venho muito aqui a pé, especialmente quando preciso de limpar a cabeça. Faço a minha caminhada, ou corrida, às vezes trago um livro, outras vezes fico só a existir ou a ouvir música. É bom, volto recarregada.

Tornei-me marketeer porque

Porque tive algumas cadeiras de marketing quando estava a tirar a minha primeira licenciatura, em Audiovisual e Multimédia, e foi demasiado óbvio que a parte estratégica da comunicação me interessava muito mais do que tudo o resto.

A estratégia de marketing perfeita é

Definir e conhecer a fundo o nosso público-alvo, as suas motivações, interesses e comportamentos, e evidenciar a proposta de valor da marca com uma comunicação ajustada.

Se não fosse marketeer seria…

Chef de cozinha. O gosto e a habilidade para cozinhar vem de família e é uma área de que gosto mesmo muito. Quero acreditar que um dia ainda vou ter o meu pequeno negócio local nesta área.

Marca com que gostaria de trabalhar

Qualquer marca com um propósito que eu considere relevante. A Obvious, da Marcela Ceribelli, é um muito bom exemplo, mas existem outras, noutras vertentes: Too Good to Go, Dove, Sociedade Ponto Verde.

Uma marca de sempre

Olá. Está presente nas minhas memórias de infância e acompanha-me até hoje.

Uma figura inspiradora

Marcela Ceribelli. É uma mulher, da minha idade, que fundou a Obvious e desenvolveu todo um trabalho nesta plataforma, que, com narrativas femininas, levanta temas tão interessantes e necessários como saúde mental, igualdade de género, autoestima, etc. Duas amigas brasileiras, em alturas diferentes, deram-me a conhecer o trabalho dela e posso dizer que desde que comecei a ouvir o Bom Dia, Obvious, não consigo não falar sobre ele.

Rede social preferida

Assumo que sou daquelas que nunca responde nos grupos, mas diria WhatsApp.

Se tivesse um superpoder, seria 

O poder de controlar o tempo. Às vezes sinto que a vida anda muito apressada e que não consigo aproveitar todos os momentos como gostaria, e isso causa-me ansiedade. No próximo sábado, por exemplo, tenho 3 aniversários e uma mudança de casa para fazer. Vou tentar chegar a tudo, mas se conseguisse controlar o tempo seria bem mais fácil.

Não sai sem

As chaves de casa e o telemóvel andam sempre comigo.

O rosto ideal para uma campanha da Bolt

Gosto muito quando trabalho com testemunhos reais. Seguindo essa linha de pensamento, qualquer pessoa é o rosto ideal para uma campanha da Bolt. O melhor de trabalhar esta marca é que no meio de tantos produtos/serviços, trabalhamos para chegar a toda a gente, seja na área da mobilidade ou na área de food delivery.

De carro ou transporte público?

Todas as soluções de mobilidade que garantirem a cidade do futuro como a queremos – para pessoas e não para carros – o que inclui quer as soluções de mobilidade partilhada da Bolt, quer transportes públicos quer o próprio andar a pé.

Terça-feira, 16 Janeiro 2024 12:39


PUB