Como vai ser a promoção do Rock in Rio USA

Um vídeo promocional lançado em maio deste ano marcou o pontapé-de-saída da promoção do Rock in Rio USA, que vai decorrer no próximo ano, em dois fins-de-semana de maio, em Las Vegas. Segundo o jornal The New York Times o orçamento para promoção é de 30 milhões de dólares.

Esta verba inclui os gastos quer da organização do festival quer dos seus parceiros. Os anúncios serão produzidos pela agência brasileira Artplan, detida por Medina.

 

O jornal norte-americano, que publica, na sua edição de quinta-feira, um artigo sobre o evento onde tem declarações de Roberto Medina, o criador do festival, escreve que a campanha de promoção vai continuar em setembro, com um anúncio que será protagonizado por Donald Sutherland, e um evento ao vivo em Times Square.

Estão a ser preparadas outras ações e campanhas em parceria com a Yahoo e a Clear Channel. Um dos pontos críticos para o sucesso financeiro do festival é a angariação de sponsors. O NYT afirma que, no ano passado, no Brasil, os sponsors contribuíram com 52 milhões de dólares. Desde 2004 que os patrocínios são responsáveis por 51% do orçamento do festival.

O jornal refere que, nos EUA, Roberto Medina ainda não assinou um contrato com um sponsor relevante. Uma porta-voz da Coca Cola, citada no artigo, confirmou que há negociações com Medina sobre o apoio ao Rock in Rio USA. O orçamento total do evento é de 75 milhões de dólares e já conta com o envolvimento da MGM Resorts International, do Cirque de Soleil e do investidor Ronald W. Burkle.

Gestores ligados ao mundo da música consideram que a proximidade do evento em relação a outro festival, o de Coachella, que decorre em abril no deserto da California, pode tornar mais difícil um acordo com patrocinadores.

Mas esta questão parece não tirar o sono ao criador de um festival cujas credenciais são reconhecidas em todo o mundo. Expressando uma “serena confiança”, escreve o jornal, Roberto Medina diz que não está preocupado com a concorrência e já planeia os próximos Rock in Rio: “o meu sonho é que em 10 anos exista um festival no Médio Oriente e outro na Ásia. A América é a porta de entrada”.

briefing@briefing.pt

 

Quinta-feira, 10 Julho 2014 10:36


PUB