Devolver “uma quota parte” à sociedade? É a missão social da Sagres

Devolver “uma quota parte” à sociedade? É a missão social da SagresA cerveja Sagres foi mecenas do projeto de reconstrução da Villa Bertha, um local emblemático da cidade de Lisboa. Nuno Pinto Magalhães, diretor de Comunicação e Relações Institucionais da Sociedade Central de Cervejas (SCC), reflete sobre a aposta neste projeto social, cujo investimento total rondou os 100 mil euros, e a necessidade de devolver à sociedade “uma quota parte” do que ela dá à SCC.

Briefing | O que motivou a cerveja Sagres a ser o “mecenas” da reconstrução da Villa Bertha em Lisboa?

Nuno Pinto Magalhães | A cerveja Sagres foi um dos apoiantes da primeira fase de recuperação de Villa Bertha, por a mesma refletir, de forma tão característica, a vida popular de muitos bairros históricos de Lisboa, tão bem retratada na ultima versão, que foi um sucesso de bilheteira, cinematográfica do Pátio das Cantigas, também apoiada pela marca Sagres. Os valores transmitidos pela Villa Berta identificam-se totalmente com os valores de portugalidade da marca Sagres. Paralelamente todos os anos, e já vamos no sétimo ano, o arraial ali realizado, na noite de Santo António, é apoiado pela nossa marca, e cujas receitas revertem significativamente para o fundo de conservação desta Villa.

Briefing | Esta ação vai de encontro à política de responsabilidade social da marca? De que forma?

NPM | Não se trata diretamente de uma ação integrada no nosso programa de responsabilidade social, embora no programa de sustentabilidade, o apoio às comunidades onde temos atividade, como é o caso de Lisboa, seja um dos “focos”.

Briefing | Qual o investimento total do projeto de remodelação?

NPM | O investimento total, segundo a Villa Bertha, ultrapassou os 100 mil euros.

Briefing | Em que reverteu o apoio monetário da cerveja Sagres?

NPM | No que os promotores do projeto de recuperação consideraram mais relevante. Materiais de construção, equipamentos, etc.

Briefing | Como avalia o resultado final da remodelação da Villa Bertha?

NPM | Um enorme sucesso. Basta visitar a Villa e falar com os moradores para se perceber a nova vida que o bairro ganhou, nesta primeira fase, não estando a obra total ainda concluída!

Briefing | Está nos planos da cerveja Sagres levar a cabo projetos semelhantes ao da Villa Bertha em outras zonas de Lisboa ou, até mesmo, do país? Porquê?

NPM | A cerveja Sagres analisa cada projeto, não descurando nenhum, mas avaliando sempre o retorno e o seu impacto.

Briefing | Considera que as marcas têm ou deveriam ter um papel social mais ativo junto das comunidades? Porquê?

NPM | Penso que cada marca tem de avaliar o seu papel em sociedade. A cerveja Sagres considera-se uma marca referência da história nacional e como tal considera ser sua obrigação estar atenta às necessidades que surgem participando e investindo, sempre que possível, no que consideramos ser relevante. Por exemplo a Central de Cervejas, implantada em Vialonga, no concelho de Vila Franca de Xira, tem vindo a apoiar a comunidade local, desde 2006, em diversas valências, registando-se até à data um valor global acumulado de mais de um milhão e duzentos e vinte mil euros, através de um protocolo anual celebrado com a respetiva autarquia.

Briefing | E os consumidores? Percecionam e valorizam este tipo de atitude/intervenção na altura de fazerem escolhas de consumo?

NPM | As nossas ações de responsabilidade social para a comunidade têm como racional tentar devolver à sociedade uma quota parte daquilo que a própria sociedade nos dá, ao acolher a nossa atividade, com todos os impactos que isso acarreta, contribuindo para o desenvolvimento sustentável da mesma.

rs@briefing.pt 

Segunda-feira, 27 Junho 2016 11:57


PUB