Dez tendências da indústria criativa by AdForum

Chegou ao fim mais um ADforum Worldwide Summit, que reuniu 30 consultores e 23 CEO de agências, em Nova Iorque. O resultado é uma lista de dez tendências da indústria criativa.

Assim, a primeira tendência apontada pelos profissionais do setor prende-se com a “Maturidade e normalização”, referindo-se à adaptação ao digital por parte das agências criativas, que estão agora a tornar-se mais especializadas nesta área.

A segunda, compreende a integração de serviços, como media e produção, no interior das agências, o que, segundo os profissionais, pode resultar em “dificuldades” para as agências de meios. Apontam, ainda, para as novas estruturas das agências, que se pretende que sejam, cada vez mais, multidisciplinares, reativas e flexíveis.

“A tecnologia não é tudo”, apontam. Isto porque, atualmente, todas as agências se dedicam ao digital, sendo que as que são especializadas nesta área precisam de algo mais para se diferenciarem no mercado.

À medida que os dados continuam a transformar a indústria, nota-se um aumento para a prática de marketing em tempo-real. Sendo que as agências devem trabalhar “dados” e ideias em conjunto.

Nota-se, ainda, que as agências estão a alagar o campo de ação, sendo que se comprometem a “resolver qualquer questão de negócios”, e não apenas aquelas que compreendem o desenvolvimento de ações de publicidade.

No encontro, foi também apontado o envolvimento das agências no desenvolvimento de produtos, adotando, assim, uma primeira abordagem ao consumidor.

Após uma época em que as agencias precisavam provar a sua eficiência através de técnicas para a web, assiste-se ao retorno das histórias comoventes na publicidade.

Devido ao uso de dados, as campanhas podem ser adaptadas, em tempo real, às reações do consumidor. Marketing em tempo real está a acabar com o briefing convencional, sendo que clientes e agências devem desenvolver uma abordagem em cocriação.

briefing@briefing.pt

 

Sexta-feira, 16 Outubro 2015 12:03


PUB