Global.: Otimismo para o futuro

Desafiador, mas enfrentado com otimismo. É como vai ser 2024 para a Global., nas palavras da sua CEO, Isabel Jorge de Carvalho.

Global.: Otimismo para o futuro

O caminho é claro, diz a CEO da Global., Isabel Jorge de Carvalho: “Estamos no top das agências de referência em Portugal com uma oferta diferenciadora e diversificada de serviços e know-how na área da comunicação. A estratégia e a visão para o futuro é a de uma agência sólida e sustentável que acompanha as tendências do sector e se transforma e reinventa ao ritmo necessário”.

Os resultados são visíveis, diz. A agência tem um leque de clientes marcas e instituições “de relevância e impacto mundial”, um crescimento sustentado nos últimos três anos e diversos prémios, nacionais e internacionais. “Esperamos que o futuro próximo seja extraordinário”, comenta, perspetivando um 2024 “muito desafiador”, pelas questões macroeconómicas globais, como a inflação e a subida das taxas de juro. Ainda assim mostra-se “muito otimista”. “Acreditamos que iremos manter o crescimento do volume de negócios e que em 2024 os ajustes que estão a decorrer internamente, nomeadamente no uso de inteligência artificial, farão já parte orgânica do nosso dia a dia”.

Nas suas duas décadas de existência, a agência assistiu a mudanças “profundas” na forma como as marcas e empresas comunicam com o seu público. “O mundo global deu lugar a um mundo digital, individual e personalizável e o ritmo desta transformação é cada vez mais acelerado”, nota. Entende que as transformações e inovações tecnológicas continuarão a impactar a forma como nos comunicamos e conectamos e “impreterivelmente” na forma como o sector da comunicação e relações-públicas opera. 

“No centro destes novos lugares de interação e comunicação, que não têm fronteiras, estão sempre as pessoas e o objetivo de criar ligações com marcas, empresas ou instituições. O acesso e a análise de dados, as inúmeras ferramentas tecnológicas e sobretudo a Inteligência Artificial estão já a impactar o sector, não só na forma como definimos as estratégias – canais e mensagens – mas também na gestão de recursos humanos”, adianta, defendendo que, se, por um lado, haverá uma “enorme” transformação no sector, a mesma colocará os profissionais da comunicação e relações-públicas e as agências num “importantíssimo e decisivo” papel na cadeia de valor de qualquer empresa.

Terça-feira, 10 Outubro 2023 11:03


PUB