O Armazém Criativo é agora Unset Studio e abriu as portas à Briefing

É sob o mote “Unset the current, set de future” que o Armazém Criativo passa a Unset Studio. A Briefing falou com o Co-Founder & Business Developer, Tiago Monteiro, que explicou que o rebranding tem como objetivo “aumentar o alcance no mercado internacional”.

O Armazém Criativo é agora o Unset Studio e abriu as portas à Briefing

Começaram o projeto ainda na faculdade, com 20 e 22 anos de idade, quando abriram o Armazém Criativo. Com mais de 200 clientes, 500 projetos e uma faturação superior a 1.2 milhões de euros, na última década foram construindo a rampa de lançamento para o que têm planeado para o futuro, como começa por apresentar Tiago Monteiro.

O rebranding surge com o intuito de aumentar o alcance no mercado internacional. Apesar de já terem trabalhado com dez mercados diferentes, sentiam que “havia muitas limitações na comunicação” do trabalho. Não fecham a porta ao mercado nacional, contudo reconhecem que há países que têm uma oferta mais ampla na inovação, com equipas e orçamentos diferentes que são mais difíceis de arranjar em Portugal. Quanto ao novo nome, explica: “Unset surge a partir da frase ‘Unset the current, set the future’. Como a frase indica, o nosso maior propósito é desconstruir o presente de forma a definir bem o futuro. É isso que queremos ser junto dos nossos clientes, um parceiro que questiona o que está assente no momento para conseguir trabalhar um futuro ainda melhor”.

De todos os projetos em que já trabalharam, aqueles que “dão mais gozo trabalhar” são os que têm clientes com background tecnológico e de inovação. Trabalharam com startups e organizações com maiores dimensões, ao nível nacional e internacional. O Co-Founder & Business Developer destaca: “Estabelecemos uma parceria de já alguns anos com uma empresa do Reino Unido — Aurum Solutions —, que acaba por preencher um lugar especial no nosso coração. Fomos responsáveis pelo projeto de rebranding da empresa e, com isso, assumimos várias pastas desde o website até conteúdos de vídeo”.

Em Portugal, destaca os trabalhos feitos com as câmaras do Porto, Matosinhos e Coimbra, onde puderam trabalhar “conteúdos que tinham um público-alvo de centenas de milhares de pessoas”, que trouxeram uma responsabilidade diferente para o estúdio criativo. A Bial, a Calouste Gulbenkian, a EDP, a Federação Portuguesa de Futebol, a KASA, o KuantoKusta, a Marques Soares, a Mota-Engil e a Sonae foram outras marcas que ajudaram a amadurecer profissionalmente o trabalho do então Armazém Criativo.

Sobre o que o futuro tem reservado para o Unset Studio, além de quererem entrar em novos mercados internacionais, nos próximos dois anos, esperam encontrar clientes que sejam tão “inovadores e criativos” como eles. “Esperamos elevar o nosso portefólio para um nível pelo menos duas ou três vezes superior ao que temos neste momento”, remata.

Cofundadores Simão Bártolo, Tiago Monteiro e Nuno Malta

Mariana Paulo

Segunda-feira, 11 Março 2024 17:46


PUB