O que traz a marca Akillis para Portugal? Joias com(o) afirmação

Uma marca que quebra códigos. É assim que se assume a Akillis, marca francesa de joalharia que acaba de chegar ao mercado português. Em declarações à Briefing, a fundadora, Caroline Gaspard, realça que as suas coleções se propõem apelar tanto a mulheres como a homens, expressando “uma liberdade sem limites”.

O que traz a marca Akillis para Portugal? Joias com(o) afirmação

O objetivo – acrescenta – é que cada um possa afirmar plenamente a sua personalidade. Daí que muitas das peças tenham sido desenhadas numa lógica unissexo: “A beleza é para as mulheres e para os homens. E o que quero é que mulheres e homens possam usar as joias uns dos outros.”

Caroline Gaspard diz ter uma “visão muito específica das joias”. Pretende que sejam peças que se usem todos os dias, de acordo com o estilo de cada um e até com o estado de espírito. Além disso, enfatiza que o seu design visa transmitir uma sensação de força. Assim acontece com a sua primeira coleção, “Bang Bang”, em que o elemento central é uma peça em forma de bala: “Simboliza os alvos que queremos atingir, diz que somos fortes. Ao mesmo tempo, parece uma gota, mas tem um toque de rock’n’roll. É a minha identidade.”

Essa força está, igualmente, presente na coleção “Python”. O nome responde pela inspiração, mas o design foge ao convencional, nomeadamente com peças em que as escamas da cobra assumem a forma de triângulos de arestas afiadas como se fossem estalactites.

A sua visão do amor está espelhada numa outra coleção, “Capture Me”. “Quando nos apaixonamos é sempre um bocadinho perigoso, não é?”, pergunta, em jeito de explicação.

Foi há 15 anos que Caroline Gaspard criou a Akillis. Uma marca com raízes nos tempos de juventude, em que começou a fazer as primeiras joias para a mãe, uma apaixonada por pedras preciosas. O nome remete para a mitologia grega e para o guerreiro que tem o calcanhar mais famoso do mundo: Aquiles. E porquê? Porque acredita que “os diamantes são o calcanhar de Aquiles das mulheres”. No entanto, é de força, e não de fraqueza, que fala o seu design.

É na Machado Joalheiro, em Lisboa e no Porto, que as suas coleções podem ser admiradas. Uma parceria assim justificada por António Machado: “Fomos seduzidos pela audácia e irreverência de Akillis. Estamos muito contentes em introduzir esta marca de joalharia francesa no mercado português.”

E porquê Portugal? É a diretora comercial da Akillis, Dora Moreira, uma portuguesa a residir em França, que explica. Em declarações à Briefing, dá conta de que o mercado português é interessante apesar da sua dimensão: “Ser pequeno permite-nos reagir rapidamente e ajustar a oferta. Como somos uma casa independente, não temos a pressão financeira dos grupos maiores.”

Quanto à parceria, justifica-a com o facto de a Machado Joalheiro “entender bem” a joalharia, possuindo “expertise em trabalhar com marcas francesas”.

Fátima de Sousa

Terça-feira, 24 Outubro 2023 11:20


PUB