O Turismo de Portugal discute o potencial do País

Portugal não está a usar o seu potencial para se tornar num destino mundial porque falta força e vontade por parte dos líderes. Esta é uma das conclusões da sessão moderada pelo CEO da Dentsu Creative Iberia, Tomás Froes, com o Creative Director da Italia Independent, Lapo Elkann, inserida no âmbito da Visit Portugal Conference 2024, que decorreu esta terça-feira, 27 de fevereiro.

O Turismo de Portugal discute o potencial do País

Na conversa, sob o mote “Como se constrói uma marca internacional com sucesso?”, o antigo responsável de Marketing da Fiat Chrysler Automobiles, Lapo Elkann, defendeu que as pessoas são “o elemento mais importante para criar marcas globais” e, por essa razão, fazem parte da base do sucesso. De acordo com a sua experiência, a sua opinião é que “quando há carência de dinheiro, há mais criatividade e, quando acontece o contrário, há mais descontração”.

Em relação ao potencial de Portugal, o profissional compara com a realidade de Itália, pois são ambos países que têm como força “a criação e o fazer artesanalmente”, apesar de considerar que o problema de Portugal é que as pessoas se subestimam. Na sua perspetiva, esta situação soma-se ao problema do sul da Europa, onde predomina o individualismo, “o que não permite o crescimento global”.

Relativamente ao setor do Turismo, o orador declara que “é imprescindível que os países definam o público que querem atrair” e deixa alguns exemplos: se a intenção for conquistar a atenção dos millenials, a aposta deve passar pelo digital; já se a intenção for entrar no mercado de luxo, deve-se investir na promoção de produtos, como o vinho, e dos restaurantes gourmet.

Apesar de tudo, a convicção da Lapo Elkann é que o País se encontra na “limelight”, o que pode ser positivo ou negativo e tudo depende do trabalho desenvolvido pelas pessoas que estão nos lugares de decisão.

Simão Raposo

Quarta-feira, 28 Fevereiro 2024 10:52


PUB