Os CRE8TRS estão a chegar a Lisboa

A Briefing entrevista o fundador do CRE8TRS.day, João Baptista, sobre o evento de que é media partner e que se realiza a 19 de junho, em Lisboa.

Os CRE8TRS estão a chegar a Lisboa

Briefing | O que nos pode destacar do programa do CRE8TRS.day?

João Baptista | O CRE8TRS.day vai ser um encontro entre os principais agentes do marketing de influência. Vamos ter no mesmo espaço criadores de conteúdo, marcas, plataformas e curiosos, e penso que esse vai ser o grande benefício de participar neste evento. Ao longo do dia, vamos ter vários painéis e pessoas que vão trazer casos práticos com resultados e estratégias para inspirar quem está na plateia a a levar para casa e para o seu trabalho novas ideias e inspirações de como fazer diferente. Além disso, a ideia é ir ao Brasil, que é um mercado com uma rotação gigante, com uma grande capacidade de investimento e que tem mais criadores de conteúdo do que dentistas, e trazer essa inspiração para Portugal, de forma a olharmos para o futuro e tentarmos fazer um pouco diferente. A Europa está um passo atrás ao nível de criatividade nesta área e, realmente, o Brasil é um dos maiores comunicadores do mundo e é um país que nasceu a comunicar, tem essa capacidade – nós temos a sorte de falar português. Este também vai ser um dia de trabalho e teremos, ao mesmo tempo que estão a decorrer as palestras, os debates, os keynotes e os casos práticos; e ao lado uma sala de troca, onde vamos ter workshops e demos de plataformas.

Havendo vários eventos dedicados ao setor do Marketing em Portugal, o que distingue este dos restantes?

Este evento nasce da nossa capacidade de observação e de participação em eventos em São Paulo [Brasil], pela observação do género de eventos que estavam a ser organizados, até pelas próprias plataformas, e aquilo que eles estavam a comunicar nesses eventos. Nós reparámos que as próprias plataformas estão a dizer e a sugerir de que forma as pessoas e os clientes podem tirar melhor proveito das suas próprias ferramentas. Ao ver que em Portugal não havia sequer este olhar de dentro da comunidade de criadores ligados ao entendimento da geração de conteúdo, da perspetiva da monetização, por exemplo, da creator economy, resolvemos ter a ambição de criar e juntar no mesmo espaço todas estas pessoas com sede de aprender mais e melhor. A McKinsey estima que, em 2030, o volume de negócio que esta economia irá gerar estará na ordem 500 mil milhões de euros. Portanto, quer dizer que é uma economia que tem um exponente de crescimento gigante. Depois, juntando a isto a geração Z, que é uma geração com que as marcas ainda estão a aprender a lidar – também vamos falar sobre isso. É isso que eu sinto aqui no nosso mercado, que tem falta de conhecimento em relação a esta atividade, e isso leva-nos a ir pelo caminho mais curto e o caminho mais seguro é olhar para aquilo que as grandes marcas estão a fazer e, de certa forma, ir atrás e, portanto, fazer bem depois. Os criadores de conteúdos vão ter a oportunidade de falar com as marcas, mostrar o seu trabalho, ter ideias e fazer colaborações. Portanto, é um dia, acima de tudo, de troca e de crescimento.

Um dos temas em foco é o papel da Inteligência Artificial (IA) no Marketing. Pensa que esta é uma tendência inevitável?

A criação de conteúdos se não está no topo da lista, parece estar nos três primeiros lugares dos estudos das profissões que vão ser mais afetadas pela IA. Estamos a viver tempos incríveis, a nossa forma de trabalhar está a mudar. No nosso podcast, esta ferramenta ajuda-nos a resumir e a criar tópicos das conversas que fazemos e o nosso trabalho só fica melhor por isso. Ganhamos tempo para fazer coisas melhores ou para ser inspirados. Portanto, estamos a aprender ainda a conviver com toda esta IA que está aqui à nossa volta. Vamos aprender a fazer coisas novas e outras maneiras de fazer as coisas. Eu sou um otimista e acho que vai ser fantástico. E como se diz em inglês: “It´s a good time to be alive”!

Outro dos tópicos que também faz estar presente é a saúde mental. Qual é a importância de ter este assunto em debate num evento como este?

Há dois assuntos transversais que nós quisemos trazer para o evento e que quisemos que estivessem presentes, nomeadamente porque vimos que estes assuntos estão em cima da mesa. Estamos neste momento já a começar a ter as consequências de quais são, realmente, os efeitos de toda esta capacidade de influência que as redes sociais nos estão a dar, nomeadamente os mais impactados são as crianças. Por isso, vamos ter a Unilever e a Marta Quelhas para trazer o caso do ano passado, que abordava a saúde mental online. Também vamos ter em palco o Pedro Gonçalves, que é um criador de conteúdos que nos vai contar as dificuldades e como é que conseguiu ultrapassar tudo isto; e a Diana Coimbra Gaspar, que estará em palco a mediar esta conversa e a contribuir também com a sua experiência como psicóloga e escritora.

E tendo em conta que este evento aborda o presente e o futuro do Marketing, como vê o setor daqui a uma década?

Fazer planos a mais de dois anos é arriscado. Vejo que as marcas que estão a conseguir mostrar autenticidade e a correr riscos são que estão a conseguir fazer, de certa forma, campanhas que mostram os seus valores e que realmente trazem algo de novo. Podemos ver agora, por exemplo, no Festival CCP, em que a campanha do IKEA foi a vencedora devido à sua coragem, autenticidade e o tom como fala. Além disso, a tecnologia será transformadora e cada vez mais democrática. Quer dizer, nós hoje temos ao nosso alcance, como nunca tivemos, tanta tecnologia e uma pessoa consegue ser uma empresa só através da IA e ter acesso a tantas ferramentas ao mesmo tempo que vai, de certa forma, também otimizar o trabalho. E as tecnologias associadas ao marketing estão cada vez mais dentro dos escritórios e, portanto, o marketing será, sem dúvida, baseado nessa inteligência, mas, por outro lado, acho que a criatividade será sempre um asset fundamental e um assunto diferenciador.

Que convite deixa a quem possa estar interessado em ir ao CRE8TRS.day?

Venham ao CRE8TRS.day e acreditem que não se vão arrepender. Será um evento para todos. Não é só para os criadores de conteúdo, é um evento também para os curiosos que querem aprender e saber mais sobre esta economia, que querem entender o outro lado da criação de conteúdos e por que é que há pessoas que geram conteúdos e ficam famosas e outras que gastam muito dinheiro nas plataformas e, mesmo assim, não conseguem aumentar a sua capacidade de influência. No final do dia, vão ver o vosso investimento ser valorizado.

Simão Raposo

Segunda-feira, 03 Junho 2024 08:59


PUB