Saudável rima com sustentável

Trabalhar com os diferentes stakeholders ao longo de toda a cadeia de valor e promover comportamentos mais responsáveis junto dos consumidores são o foco da estratégia de sustentabilidade do Continente.

Saudável rima com sustentável

Está presente em todo o território nacional e tem impacto na vida das comunidades em que se insere. É assim no Continente e é por isso, segundo a diretora de Sustentabilidade da MC, Mariana Pereira da Silva, que sabe que é seu dever encontrar e implementar medidas que “procurem minimizar o impacto da sua atividade e que contribuam para o desenvolvimento sustentável de toda a sua cadeia de valor”.

A ação do retalhista é impulsionada pela Estratégia de Sustentabilidade da MC, a qual está assente em quatro eixos de atuação prioritários: Ação Climática, Circularidade, Produção Sustentável e Oferta Responsável. Para estes, estabeleceram “objetivos desafiantes” e desenvolveram planos de ação que sustentam a sua prossecução. São exemplos: o investimento na capacidade de produção local de eletricidade – a MC alargou o seu parque fotovoltaico em 2023, terminando o ano com 264 centrais instaladas e em funcionamento; sob o mote “Produtos bons demais para deitar fora”, a MC lançou a Gama Zero Desperdício, uma nova gama de frutas e legumes fora de calibre ou com pequenas imperfeições que representa uma ferramenta para reduzir o desperdício alimentar na cadeia de abastecimento da MC; o desenvolvimento da plataforma Footprint MC, com o objetivo de dotar os fornecedores de informação relativa à pegada carbónica e hídrica dos produtos que fornecem, bem como oportunidades de otimização da pegada; ou o lançamento da campanha do Cartão Continente para o Dia Mundial do Ambiente, “Poupe o Planeta”, que teve como objetivo sensibilizar os utilizadores da aplicação do Cartão para o contributo que cada um poderá ter na conservação e proteção do planeta, nomeadamente através de escolhas simples numa ida ao supermercado.

“Apesar de estar atualmente em destaque na agenda pública, a preocupação com a sustentabilidade já integra a gestão da MC há vários anos e é um valor profundamente enraizado no ADN da empresa”, reitera a responsável, lembrando que foram a primeira empresa portuguesa de retalho e distribuição a apresentar uma política de ambiente, a lançar os primeiros programas de ecoeficiência na década de 90, e a publicar, no início dos anos 2000, o primeiro relatório de sustentabilidade. “Este investimento contínuo tem merecido o destaque e a confiança do consumidor, que, em 2023, pelo 14.° ano consecutivo, nos distinguiu com a Marca de Confiança Ambiente, um reconhecimento que muito nos orgulha”, acrescenta.

Mariana Pereira da Silva acredita que a forma como procuram trabalhar com toda a sua cadeia de valor – dos fornecedores aos consumidores – e a capacidade de envolvimento das diferentes partes interessadas são um marco característico da sua atuação. Além disso, pela complexidade e urgência que os desafios da sustentabilidade comportam – da emergência climática, à perda da biodiversidade, às desigualdades sociais, entre muitos outros –, entende os mesmos, enquanto desafios de negócio, com “uma dimensão cada vez mais relevante e central na gestão e na proposta de valor”.

“Dada a posição que o retalho ocupa na cadeia de valor, no nosso entender, dar o exemplo significa atuar enquanto catalisador da transformação que é necessária operar, alinhando a cadeia de abastecimento em torno das dimensões mais materiais e das melhores práticas, promovendo maior transparência e potenciando comportamentos mais sustentáveis junto do consumidor”, sustenta. 

No que respeita a parcerias, a diretora de Sustentabilidade da MC afirma que no Continente sabem que a construção de um futuro sustentável só será possível através um esforço conjunto dos diferentes stakeholders e de uma ação concertada ao longo de toda a cadeia de valor. “A capacidade de cooperar e estabelecer parcerias é muitíssimo importante, permitindo congregar esforços e unir recursos de diferentes organizações de forma sinérgica, para alcançar um objetivo comum, atingindo uma escala superior àquela que seria alcançada individualmente”, termina.

Terça-feira, 02 Abril 2024 10:21


PUB