Shots de tequila… e Design

Esta é uma história que começa há mais de 20 anos, na Ericeira, com os protagonistas a beber shots de tequila. Conheça o FalcaoLucas.

Shots de tequila… e Design

Áudio by IA

Foi em abril de 2013 que o estúdio FalcaoLucas foi fundado por Tânia Falcão e Luís Lucas, dois artistas multidisciplinares. Esta história começa, porém, muito antes disso. Conheceram-se, na Ericeira, há mais de 20 anos, a beber shots de tequila, e estão juntos desde então. Ambos tiraram cursos relacionados com design e depois de formados, trabalharam juntos em publicidade, até que decidiram criar o estúdio. Em 2015, mudaram-se para essa vila do concelho de Mafra, onde trabalham para clientes de todo o mundo, desenvolvendo projetos, que vão da publicidade à ilustração e ao design gráfico e que caracterizam como “únicos e inovadores”.

O posicionamento incide em aportar um lado mais artístico para o design e a comunicação. “Com o nosso background em arte e design, acreditamos que a criatividade deve ser o ponto-chave para qualquer projeto”, dizem. Para tal, tentam incorporar constantemente novas tendências e tecnologias relevantes no sentido de se manterem atualizados e de integrarem inovação. Isso não significa, no entanto, que sigam cegamente as tendências. “Tentamos, sim, utilizá-las de forma estratégica e inteligente, para garantir que os trabalhos sejam impactantes e relevantes”. A missão é desafiar, surpreender e despertar a curiosidade dos clientes. Acreditam que um trabalho de sucesso é aquele que consegue criar uma experiência única e memorável, capaz de surpreender e impactar o público. 

Quando começaram como estúdio de ilustração, perceberam rapidamente que tinham de encontrar uma forma de evoluir e crescer para acompanhar as exigências do mercado. “Não era economicamente viável limitarmo-nos a uma única valência, e foi então que decidimos juntar a animação à ilustração para criar arte animada”, revelam. Foi, contam, quando começaram a ter “algum reconhecimento internacional enquanto criadores de GIF animados”. Juntaram depois o design para trabalhar comunicação para empresas como a EDP, Montepio e Republic Records. Acabaram, então, por perceber que as valências que lhes eram mais naturais, quando aliadas, criavam a oferta que os diferencia. “A nossa capacidade de unir ilustração, animação e design para comunicação corporativa permitiu-nos oferecer soluções criativas e integradas aos nossos clientes”. 

E que soluções são essas? Em 11 anos, são muitas, e diversificadas, com os fundadores a destacarem projetos que incluem animação, como o genérico criado para o programa [in]pertinente, da Fundação Francisco Manuel dos Santos, a animação do logo de 182 anos do Associação Mutualista Montepio, criada em 3D para comemorar o seu aniversário, ou a coleção de GIF animados artísticos criada para o lançamento do álbum “Red Pill Blues”, dos Maroon 5.

O mercado internacional é, aliás, muito importante para o estúdio, sobretudo no que diz respeito à arte animada, realidade aumentada e NFT, onde tem maior expressão e reconhecimento além-fronteiras. Objetivo tem sido também a internacionalização de outras áreas, como a comunicação para empresas. “A nossa estratégia de expansão tem sido a criação de trabalhos pessoais artísticos que possam atingir públicos internacionais. Acreditamos que esse tipo de trabalho é uma forma de captar a atenção de outras áreas e de mostrar a nossa capacidade criativa, o que pode levar a novos projetos e oportunidades”. 

É na diversificação que o estúdio aposta para aumentar a oferta de serviços e captar novos clientes: seja na venda de obras de arte, tanto em formato digital como físico, seja na música, no vitrinismo ou no web design.

Para os próximos anos, a ambição passa por expandir a carteira de clientes, chamando a atenção de novas marcas e alcançando um maior reconhecimento no campo artístico nacional e internacional. “Acima de tudo (ou além de tudo isto) ambicionamos poder continuar a fazer o que nos apaixona, que é criar projetos de arte e design que inspirem e comuniquem de forma única e criativa, e de continuar a ter o privilégio de o poder fazer a partir do lugar onde escolhemos viver”, dizem. Da Ericeira para o mundo.

Sofia Dutra

Sexta-feira, 22 Março 2024 09:31


PUB