Vision & Trends 2020. Os quatro pilares de Rogério Canhoto

No debate sobre Vision & Trends 2020, promovido pela APPM em parceria com a Briefing, o Chief Business Officer da PHC, Rogério Canhoto, identificou quatro pilares que estão a influenciar a abordagem da empresa e que se vão acentuar este ano.

 

Por um lado, a subscription economy: “Estamos a migrar para a utilização e não para a posse”. Depois, a sharing economy: “Partilhamos tudo, opiniões, recursos. Tudo o que fazemos pode ser partilhável. Como é que fazemos com que o cliente do nosso cliente entre nesta cadeia?”.

Por outro lado, a crowd economy: “Tudo o que existe lá fora pode ser incorporado, desde logo, o talento, que é global. É uma dinâmica de mercado em que a crowd influencia a crowd”. Finalmente, a experience economy: “As tecnologias colocam um patamar de exigência elevadíssimo às empresas”.

O que é que isto implica? “Neste mercado em que as decisões são tomadas muito rapidamente, se não tivermos uma base tecnológica forte, é muito difícil tomarmos as decisões certas no momento certo. Tudo produz dados, informação. Depois, precisamos de a transformar em algo acionável e que traga mais negócio. A mobilidade com informação é extremamente valiosa”.

Na sua perspetiva, “every business is a software business”. E é neste contexto que a consultora portuguesa enfrenta o desafio da internacionalização. O desafio é como acrescentar valor neste mercado hipercompetitivo: “Por um lado, pensamos muito numa lógica de B2B – quem são os decisores, quem está envolvido, o que querem. E querem aumentar vendas, controlar custos, aumentar a performance da sua empresa, diferenciar-se da concorrência. A nossa abordagem de Marketing centra-se muito aí. Mas, às vezes, esquecemo-nos de que aqueles gestores também são consumidores individuais. Então, como lhes facilitamos a vida, como os inspiramos, qual a relação que têm com a marca? Temos de abordar esta lógica”.

fs@briefing.pt

 

Quarta-feira, 05 Fevereiro 2020 11:46


PUB