Opinião

segunda, 19 novembro 2018 09:58

Os dados como ativo da organização

Ivo Bernardo, cofundador e Head of Strategy da IMSHARE Conference

Se os dados e o conhecimento daí gerados são um dos maiores ativos das organizações porque existem tantas dificuldades em definir um rumo no que toca ao analytics? Por um lado, o analytics não é o negócio core das grandes organizações em Portugal, por outro, a necessidade de analisar dados e factos no contexto de negócio tem vindo a ganhar cada vez mais relevância em todas as apresentações que passam pelas salas dos membros dos conselhos de administração. A dúvida surge diariamente: o que é uma implementação com êxito de uma política de analytics numa organização? Uma tecnologia? Uma equipa? Umas centenas de processos? Um projeto de datawarehousing?

segunda, 29 outubro 2018 10:33

Indústria automóvel: mudar a mudança num setor em revolução

Bruno Aibéo, diretor de contas da DDB

É o bem de consumo que, logo depois da casa, representa o maior grau de investimento e de envolvimento e, por isso, aquele onde as marcas mais investem em publicidade. Segundo dados recentes da Marktest, a indústria automóvel lidera o investimento publicitário em Portugal. No entanto, estamos perante um setor em mudança, no qual os fabricantes estão a reinventar o negócio e os hábitos de consumo estão a mudar em tempo real, tendo impacto na própria forma de comunicar.

terça, 16 outubro 2018 10:14

Marketing direto - O que falta?

Carlos Gomes, sales manager da PSE

Certamente já se deparou com uma série de e-mails, de contactos telefónicos ou de cartas que não têm qualquer interesse para si, no entanto, continua a recebê-los recorrentemente. Nos dias que correm, é difícil comunicar de forma eficaz – para a pessoa certa com o produto certo e no momento certo! As preferências do consumidor estão em constante mutação.

segunda, 08 outubro 2018 11:18

Marketing de influência: tempo de realinhar a estratégia

Fabíola Silva, diretora de Estratégia Digital e de Marketing de Conteúdos da Publicis Londres

“Eu vendo produtos, não vendo anúncios.” A resposta de Don Draper, o diretor criativo da agência Sterling-Cooper na série “Mad Men”, é um slogan intemporal da boa publicidade. Drapper estava a pensar no mundo da televisão, nos anos 1960. Mas a importância da credibilidade e autenticidade é ainda mais pertinente hoje para as marcas que investem em marketing de influência. Estes são os dois ingredientes que tornam esta tática publicitária tão apetecível numa era em que a saturação publicitária no mundo digital é um problema premente.

segunda, 01 outubro 2018 10:21

Quando as agências querem brincar aos médicos

Jayme Kopke, diretor da Hamlet

Provavelmente por ser verão, e haver mais tempo livre nos departamentos criativos, nos últimos tempos tenho visto iniciativas de autopromoção interessantes por parte de algumas agências de publicidade.

segunda, 17 setembro 2018 11:01

Muito modernos, quase falidos

Paula Cordeiro, investigadora

A comunicação contemporânea baseia-se num conjunto de ligações e inter-relações estruturadas através de um espaço comum de conexão: a internet, esse paradigma alternativo, lugar de brincadeiras inconsequentes, propaganda política e outros contextos de práticas comuns nos quais também os meios de comunicação social se inserem, investindo sem grande retorno.

Pág. 1 de 72

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing