Opinião

Marcas portuguesas que fazem parte da nossa vida

Marcas portuguesas que fazem parte da nossa vida
Quem é que consegue esquecer-se das chiclets Gorila compradas nos intervalos da escola, da casa da avó onde sempre existia a Pasta Couto, do estojo cheio no primeiro dia de aulas com lápis Viarco prontos a estrear? Dos sabonetes Confiança que a mãe tinha sempre em casa, dos almoços com as loiças Vista Alegre e das festas com os amigos onde o Licor Beirão não podia faltar?

sexta-feira, 02 março 2012 12:45

É verdade que estamos cheios de casos de sucesso e know-how produtivo. Estes aliados à capacidade criativa dos portugueses podem ser grandes factores de sucesso. O que falta? Porque nem todos conseguem lá chegar? Porque muitos ficaram pelo caminho?

Acreditamos na MAGIA DAS MARCAS, no PODER DO DESIGN e na SEDUÇÃO DA COMUNICAÇÃO. E sobretudo, ACREDITAMOS NAS MARCAS PORTUGUESAS. Estamos porém na fase em que não chega acreditar nem tão-pouco chega ter o know how produtivo, é preciso internacionalizar de forma inteligente e estretégica, com marcas coerentes e comunicação muito forte e integrada.

Actualmente os primeiros a perceber a importância de Marcar (criar marca) como as marcas acima referidas, são os primeiros a reinventar-se, a Gorila renova a sua estratégia, contrata marketers e ambiciona até 2016 duplicar as suas vendas. A Viarco continua a brilhar nos palcos de design internacionais e a dar cartas em muitos mercados internacionais e no nacional, e o Licor Beirão todos lhe conhecem o sucesso dos últimos anos.

Esta é apenas uma amostra, pequena, do que podemos fazer bem, no entanto há muito a fazer. As marcas e empresas portuguesas têm de ser estrategas e juntarem-se para ganhar a grande guerra da oferta e da globalização que faz com que a concorrência dos dias de hoje seja feroz.

É fundamental mostrarmos ao mundo a nossa qualidade mas antes de tudo, é urgente que nós, portugueses, acreditemos em Portugal. Sem poesias, se cada uma das inúmeras marcas excepcionais portuguesas fizesse parte da casa de todos nós, conseguiríamos dar um grande passo no crescimento da nossa economia.

E por isso vimos aqui hoje propor que todos os portugueses vivam numa casa 100 por cento nacional. Porque acreditamos num país 100 por cento português e num Portugal 100 por cento excepcional.

Fonte: PortugalBrands

sábado, 03 março 2012 13:40

bt nl

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing