Opinião

Redes sociais: "Ignorar o Google+ poderá revelar-se um erro"

João Correia, Web Analytics Strategist - Blast Analytics & Marketing, CA USAHoje em dia fala-se quase exclusivamente do Facebook na gestão de redes sociais. Como marketeer ignorar o Google+ e outras redes sociais poderá revelar-se um erro estratégico a médio/longo prazo. A opinão é de João Correia, web analytics strategist da Blast Analytics & Marketing.

terça-feira, 29 janeiro 2013 12:13

A experiência web está cada vez mais personalizada, em parte devido à componente social e ao nosso grafo. O exemplo mais recente é o recém-anunciado Facebook Graph Search que promete fornecer resultados relevantes com recurso à informação contida no grafo.


O que é um grafo (graph)?

Um grafo é uma rede constituída por nós e linhas. Os nós são objectos (pessoas, páginas, etc) e as linhas são ligações (relações/propriedades uni ou bi-direccionais). A figura em baixo mostra um grafo representado graficamente.

Grafo representado graficamente

Que cargos comuns têm os políticos no grafo acima? 

Para descobrir a resposta poderiamos consultar as respectivas biografias, ou se a informação estiver num grafo, fazer uma exploração visual ou perguntas estruturadas.

Com os grafos podemos tornar visíveis relações que de outro modo seriam difíceis de obter. O cálculo da distância, em graus, a outras pessoas no LinkedIN é um exemplo.

Os grafos têm um variado número de aplicações práticas desde a investigação criminal, jornalismo a mapas de estradas e claro nas redes sociais (e.g. Facebook, LinkedIN, etc).


Facebook Search Graph


No grafo do Facebook os nós são os utilizadores, páginas, locais, grupos, etc.

Cada nó possui ligações com propriedades (amigo, gosto, família, etc) a outros nós. De um modo geral todas as nossas interacções no Facebook são passíveis de criar uma ligação a um nó.

Através do recém anunciado Facebook Graph Search é possível fazer pesquisas no grafo do Facebook de um modo livre. A Forbes deu alguns exemplos curiosos:

  • › “Islamic men interested in men who live in Tehran, Iran”

    › “Mothers of Catholics from Italy who like Durex”

    › “Spouses of married people who like [cheat-on-your-partner dating site] Ashley Madison”

Se contarmos com os social plugins (botões de like, comments, etc) presentes em milhões de sites conseguimos imaginar a quantidade de informação que o grafo do Facebook possui.

Isto significa que o Facebook pode fornecer resultados de pesquisa altamente personalizados com base na informação contida no grafo. Em parte já o faz através do Bing com os "Social Results".

Expôr a informação do grafo ao público e o poder para o pesquisar (Facebook Graph Search) será algo que trará muitas dores de cabeça ao Facebook e a muitos dos seus utilizadores, muitos dos quais desconhecem as definições de privacidade.


Porque é importante promover o Google+ e outras redes sociais?

O Google possui a maior quota de mercado (66.7% nos E.U.A. - comScore Dec 2012) nos motores de pesquisa.

A sua missão, organizar informação e torná-la universalmente acessível e útil, espelha uma cultura matemática e ciêntífica, menos sensível no que toca à componente social, isto explica em parte alguns dos seus fracassos na área (Jaiku, Buzz e Wave).

Em Portugal o Google+ não tem expressão quando comparado com o Facebook, o cidadão comum ignora-o, afinal a maioria da sua rede social não o usa.

É no entanto importante recordar que o mesmo acontecia com o Facebook em 2008 quando não tinha atingido a "Late Majority", hoje o Facebook já chegou aos "Laggards".

Modelo Rogers de difusão de inovações (Diffusion of innovations)

Modelo Rogers de difusão de inovações (Diffusion of innovations)

(Imagem Wikipedia - Diffusion of innovations)

Como profissionais de Marketing é da nossa responsabilidade manter uma visão ampla, isenta e estratégica.

O Google também possui um grafo. Ele incorpora a informação do grafo social (Google+, Twitter, Youtube, número de posts, +1, followers, subscribers) no algoritmo que fornece os resultados do motor de pesquisa.

O grafo do Google associa o site da sua marca às várias presenças sociais.

Quer isto dizer que o grafo social da sua marca afecta o posicionamento do seu site nas páginas de resultados. 

Conclusão

Não acredito que o Facebook ganhe a "guerra" do Search com o Google.

Sendo o Search um canal de "inbound" responsável por uma grande quantidade de receita para muitas marcas, especialmente em mercados mais competitivos, ignorar o Google+ é um erro estratégico a médio/longo prazo, especialmente se a sua indústria se tornar mais competitiva no futuro.

Se obtém receitas, ou espera obter, do facto da sua marca estar bem posicionada nas páginas de resultados do Google, promova o Google+ e outras redes sociais relevantes para a sua marca, promova a instalação do botão +1 no seu site, reforce a autoridade da sua marca no grafo do Google.

João Correia
Web Analytics Strategist - Blast Analytics & Marketing, CA USA.
http://joaocorreia.pt

terça-feira, 29 janeiro 2013 12:46

bt nl

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing