Opinião

BI Móvel, o que aprendemos?

BI Móvel, o que aprendemos?Usamos os dispositivos móveis nas nossas vidas de consumo para tudo, seja para registar as nossas corridas ou para comandar a televisão. No entanto, quando se trata de usar dispositivos móveis e, mais especificamente, BI móvel no local de trabalho, ainda existem alguns obstáculos a ser superados.

quarta-feira, 29 outubro 2014 10:44
BI Móvel, o que aprendemos?

O departamento de TI é desafiado a encontrar a combinação perfeita entre dar ao quadro profissional mais flexibilidade com os seus sistemas de TI e aderir às políticas de segurança da empresa. Isso pode ser demorado, pois significa que os gestores de TI tem que supervisionar de que forma exata é que o software está a ser utilizado.

A IDC prevê que os colaboradores móveis a nível global vão abranger pelo menos 37 por cento de todos os colaboradores de escritório em 2015. Além de tudo isto, a Gartner referiu a mobilidade como a maior prioridade para os CIOs de todo o mundo em 2013, seguida de perto pelo business intelligence (BI). Há uma crescente procura por acesso móvel a informações importantes de negócios e tomadas de decisões em tempo real – na verdade, um estudo realizado pelo The Aberdeen Group no ano passado mostrou que o BI móvel pode levar a decisões que estão a ser tomadas num período de tempo mais reduzido. As expetativas em relação ao BI móvel são, portanto, elevadas, mas a sua taxa de adoção ainda não é o que os analistas esperavam que fosse. Ainda assim, a Gartner espera que 2013 seja o ano em que as aplicações móveis trarão uma mudança real.

Mas será este o caso? Seguem-se alguns aspetos que os gestores de TI precisam de considerar quando embarcam num projeto de BI móvel:

O BI Móvel deve ir de encontro às necessidades dos seus utilizadores-alvo

As organizações estão a começar a perceber que as aplicações móveis de BI não serão bem sucedidas se não forem relevantes para o utilizador. As pessoas ainda se esquecem de perguntar quem está realmente a beneficiar do BI móvel. Aqueles que trabalham principalmente a partir dos seus computadores de secretária serão os candidatos menos adequados. Consultores de vendas e executivos que viajam com frequência são as pessoas com maior necessidade de acesso móvel.

Concentrar-se apenas no interface do utilizador fornece um valor limitado ao utilizador

Dado o número exponencialmente crescente de dispositivos móveis, podemos afirmar seguramente que os utilizadores querem mobilidade e estão cada vez mais dispostos a aplicá-la no seu trabalho. No entanto, o novo contexto móvel não muda a forma como o utilizador lida com BI e análises. O verdadeiro trabalho móvel e o BI móvel requerem uma mentalidade por parte das TI que esteja focada na mobilidade, não na simples transposição do ambiente tradicional para o móvel.

O BI Móvel não é um complemento, mas um componente nuclear da descoberta de dados

Os diretores de TI devem abordar a implementação de BI móvel como um programa contínuo, não como um projeto. De facto, o BI móvel, muito mais do que o BI tradicional, deve focar a entrega de um valor de negócio mensurável. Para o BI tradicional, era suficiente planear as atividades a serem concluídas dentro de um determinado período de tempo e orçamento. No entanto, para o BI móvel, é essencial que se possa medir como uma informação específica é disponibilizada através de aplicações móveis, e como realmente faz a diferença para o utilizador móvel ou para o decisor.

As escolhas de TI

Para formar uma boa estratégia de BI móvel, é importante considerar três aspetos: o ambiente, a segurança e a apresentação dos dados.

Qual é a plataforma da sua escolha?

Ao projetar uma arquitetura de BI móvel, a escolha da plataforma é essencial. A necessidade de uma experiência de utilizador totalmente integrada deve ser a principal consideração quando se trata de plataformas e aplicações de BI móvel. Além disso, a necessidade de acesso a dados offline ainda é importante, uma vez que os trabalhadores móveis muitas vezes ficam bloqueados na ausência de uma ligação sem fios à Internet.

O que fazer em relação à segurança?

Não é possível implementar BI móvel sem considerar plenamente o impacto que o mesmo tem sobre a segurança da sua empresa. Um bom design tem três camadas. A segurança ao nível do dispositivo usa os recursos individuais de segurança de smartphones e tablets para proteger os dados, incluindo criptografia de disco, apagamento remoto de conteúdo, e software de firewall e antivírus. Ao nível da transmissão, pode usar os recursos de chaves criptográficas e VPNs para assegurar que os dados são protegidos ao nível da rede. As autorizações e autenticações garantem a segurança adequada nas extremidades da infraestrutura.

Que dados oferece?

Combinar múltiplas fontes de dados vai ajudar a fornecer as aplicações mais robustas. No entanto, aqui também, a relevância dos dados depende do que foi disponibilizado, em particular, para o acesso móvel. As equipas de vendas precisam principalmente de acesso aos dados de vendas, dados de CRM e, possivelmente, de stock mas os outros públicos têm outras necessidades. Identifique as necessidades concretas dos utilizadores móveis.

Em suma, a segurança, governança e gestão segmentada dos grandes volumes de dados são os maiores desafios na implementação de uma estratégia de BI móvel. Cabe aos diretores de TI certificarem de que o BI móvel da empresa está a ser chegar às pessoas que se encontram no lugar certo, na hora certa, e que permita análises tão naturais e rápidas quanto a tomada de decisões o exiga.

quarta-feira, 29 outubro 2014 12:53

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing