Opinião

O mito suburbano

O mito suburbanoHavia uma pequena viela que ligava o Bairro das Pedras à Avenida da República. Era um caminho estreito, com um muro alto de um lado e grandes arbustos do outro. Para o atravessar eram precisos exatamente 52 passos.

quinta, 29 dezembro 2016 11:27

Durante o dia, muita gente atalhava por ali, mas, à noite, todos os que sabiam da história da presença da alma penada, por via das dúvidas, contornavam aquele caminho.

Da longa lista de sobreviventes da travessia, nenhum queria falar abertamente sobre o assunto. O pouco que se sabia é que a meio do percurso, uma voz soprava-lhes ao pescoço:

- NÃO OLHES PARA TRÁS! NÃO OLHES PARA TRÁS! NÃO OLHES PARA TRÁS!

Ora, qual é a primeira coisa que fazemos quando ouvimos uma voz que na penumbra de uma viela nos sussurra não olhes para trás? Isso mesmo. Olhamos imediatamente para trás. Profunda conhecedora do comportamento humano, a dita aparição castigava a curiosidade dos transeuntes com uma chapada de mão cheia. Um estalo de chicote. Uma bolacha bem aviada. Uma bofetada à meia volta. Um tabefe do outro mundo.

É numa época tão dada a retrospetivas de facebook, rewinds de youtube, listas dos melhores anúncios do ano, entre muitos balancetes pessoais que esbofeteiam sem dó nem piedade, que sou atingido por este mito suburbano vindo diretamente da minha pré-adolescência. E, como das poucas certezas que tenho sobre aquilo que faço é que "Rentabilidades passadas não significam rentabilidades futuras", o melhor mesmo é arregaçar as mangas e olhar para frente.

quinta, 29 dezembro 2016 12:24

bt nl

Facebriefing