Opinião

A Inteligência Artificial no marketing: um novo marketeer está a nascer?

Compelida por um desejo de inovação e desenvolvimento, a busca da humanidade pela proeza tecnológica está enraizada desde os seus primeiros dias. A inteligência artificial (IA), que uma vez foi pensada para viver puramente no reino da imaginação humana, é uma perspetiva muito real, sendo que a superinteligência da máquina está relacionada com todos os seres humanos. No entanto, o que é que o futuro nos espera?

segunda, 11 dezembro 2017 11:58
A Inteligência Artificial no marketing: um novo marketeer está a nascer?

 

Convém desmistificar “esta coisa da IA”, até porque a ascensão das máquinas não vai acontecer imediatamente, até porque a IA ainda está na sua infância e, perdoem-me os sonhadores, não tem capacidade para fazer nenhuma tarefa para a qual não esteja altamente (sublinho o altamente) bem treinada e, mesmo assim, com taxas de erro elevadas. Como é óbvio, e como a tecnologia é um processo iterativo, vai evoluir e ser cada vez mais precisa. Acima de tudo, vai livrar-nos das tarefas repetitivas, vai automatizar certos aspetos da nossa vida, vai trabalhar 24h por dia, e vai acelerar tudo o que podemos fazer.

E como seria de esperar, também no mundo do marketing, a IA é o tópico atual. É literalmente impossível não ter pelo menos uma sessão ou painel de discussão sobre o assunto em qualquer tipo de evento ou conferência de marketing/publicidade. Estamos num "pico de IA" e essa tendência de grande interesse no tópico vai, certamente, continuar.

A revolução da IA no marketing digital está a ser estimulada pelas ferramentas de análise de dados, pela disponibilidade de mais recursos, por um conjunto de dados extensivos, e uma crescente aceitação do seu potencial por parte das marcas e anunciantes. Nunca tivemos tantas oportunidades para uma revolução no marketing, e desta vez, verdadeiramente baseada em dados.

Do ponto de vista do trabalho, e com esta nova IA, significa que mais tempo pode ser alocado em áreas onde o foco humano é necessário ao máximo, sem dúvida alguma, as áreas da criatividade!

Além disso, à medida que os consumidores se tornam ainda mais digitais e automatizam mais coisas usando ferramentas e dispositivos inteligentes com recurso à AI, a parte humana do “relacionamento” de um produto com os seus consumidores vai tornar-se ainda mais importante.

Será que estamos a assistir ao nascimento de um novo marketeer especializado? Não temos qualquer dúvida que a resposta é sim. Esse marketeer irá fazer o trabalho repetitivo e propenso ao erro, típico dos humanos. Estamos a falar de tratamento de dados, configuração de campanhas, garantia de qualidade de execução de campanhas, controlo de fraude, segmentação de alvos cada vez mais micro, escolha rápida dos canais certos, personalização de marketing, novos formatos dentro do conteúdo onde a atenção do consumidor reside, criar novos mundos de VR/AR…entre muitas outras tarefas.

Diria que temos de começar a ficar entusiasmados. A IA leva a automação do marketing e da publicidade para outro nível e contribui para aumentar e potenciar a sua arte (ou o tempo disponível para ela).

Os benefícios da AI são tudo menos artificiais.

Talvez um dia a IA consiga substituir a intuição, a experiência, a perspicácia, mas não é certamente hoje... no entanto, do meu ponto de vista, este novo marketeer é bem-vindo!

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing