Opinião

Sustentabilidade como argumento de marketing

Como consumidores, cada vez que escolhemos uma marca, estamos a exercer um direito de “voto”. No ato de compra, acabamos por dar protagonismo a marcas alinhadas com os nossos valores, interesses e paixões e selecionamos aquelas nas quais nos revemos mais e que de alguma forma representam um maior valor para nós.

quarta-feira, 25 novembro 2020 11:22
Sustentabilidade como argumento de marketing

 

Para merecer esse voto, as empresas devem ter a obsessão de criar marcas interessadas e interessantes, no e para o consumidor. Por outras palavras, as empresas devem procurar entender o que interessa às pessoas e, mais importante ainda, trazer propostas relevantes, que se conectem com elas e vão de encontro às suas necessidades.

No fim de contas, quando nos tornamos relevantes como companhia, transformamos consumidores em embaixadores e multiplicamos exponencialmente o alcance das marcas e o impacto das ações. Deixamos meramente de colocar um produto no mercado e passamos antes a disponibilizar um movimento, um propósito, um manifesto.

E para o bem de todos nós, somos julgados pelo que fazemos e não apenas pelo dizemos. Não se trata de dar ao consumidor uma simples declaração de intenções, mas sim de tomar posição e implementar ações concretas. Temos de liderar pelo exemplo, desbravar o caminho. Fazer e depois contar. E isso muda tudo… cria confiança, credibilidade e laços com as pessoas. Cria-se um ciclo belo e inevitável entre marca e consumidor, onde um se revê no outro como duas componentes diferentes que se unem para formar um todo, pleno e harmonioso.

A preocupação com o planeta, por exemplo, é universal e os consumidores estão a cobrar, através do seu “voto”, ações imediatas e com legado positivo. Empresas e marcas que não colocarem a sustentabilidade como filtro na sua tomada de decisão, deixarão (se é que já não deixaram) de ser interessantes. 

Fazer diferente, trazer planos concretos, que muitas vezes nos tiram da zona de conforto, devem fazer parte do plano de qualquer marca, e é precisamente isso que fazemos na Danone.

Retirámos recentemente as tampas da generalidade dos nossos iogurtes líquidos. Um bom exemplo de uma ação concreta, necessária e que, sem dúvida, nos tirou da zona de conforto. Resultado: Cada “voto” que a Danone recebe dos seus consumidores representa menos plástico na natureza.

Afinal, marcas neutras, sem propósito e sem ações concretas, serão esquecidas. Para o bem de todos.

Rodrigo Chaimovich

Diretor de Marketing, Danone Portugal

 

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing