Opinião

Natal de 2021: a normalidade que desejávamos ou a “nova” normalidade?

O Natal é uma época de celebração e partilha, com um forte impacto nos padrões de compra e de consumo. Pela relevância comercial que esta época assume, a análise do comportamento dos consumidores face às compras de Natal demonstra particular importância, mais ainda porque está profundamente alinhada com outros indicadores económicos e financeiros.

quarta-feira, 29 dezembro 2021 11:00
Natal de 2021: a normalidade que desejávamos ou a “nova” normalidade?

Nos últimos anos, temos assistido a uma sistemática alteração nos hábitos e estilos de vida da população portuguesa, com impactos a vários níveis, incluindo na forma mais convencional de vivência das épocas festivas, onde se inclui o Natal.

Desde março de 2020, a situação pandémica acelerou um conjunto de alterações relevantes nos comportamentos dos consumidores. A situação de incerteza e dúvida, causada por um vírus totalmente desconhecido, colocou novos desafios às pessoas e às empresas. Os diversos confinamentos e as alterações da forma como os quotidianos são geridos e organizados, obrigaram a adaptações mais céleres de hábitos e comportamentos. Algumas destas adaptações mantiveram-se estáveis outras, voláteis, desapareceram com o regresso a uma pertença normalidade.

Neste contexto de instabilidade e novas vivências, considerando que o Natal é tradicionalmente uma época em que o consumo privado aumenta de forma significativa, no IPAM (Instituto Português de Administração de Marketing) compreender a perspetiva dos consumidores e as alterações que previam efetuar no comportamento face às compras de Natal. Para tal, replicamos o estudo que foi iniciado em 2009 pelo IPAM, com o propósito de analisar as principais alterações no comportamento dos consumidores.

O Natal de 2020, o primeiro vivido com as limitações decorrentes do contexto de pandemia, verificamos uma retração do consumo na época natalícia. As famílias estiveram menos reunidas, houve menos momentos de celebração e o consumo diminuiu de forma significativa.

Ao analisarmos o ano 2021, com a previsão de maior normalidade decorrente de um maior controlo da situação pandémica, questionámos as famílias sobre as suas intenções de compra e consumo na época natalícia. Muitos consumidores consideraram o Natal de 2021 como o momento de reencontro e celebração.

Neste sentido, não é surpreendente o facto de haver uma previsão de gastos adicionais associados às compras de Natal. O valor médio a gastar em 2021 aumentará 6,5%, atingindo-se o 2º valor mais elevado desde 2009, ano de início do estudo sobre compras de Natal.

As compras de Natal são feitas maioritariamente em dezembro, mas o contexto atual alterou o local e a forma de comprar. Os consumidores referem que comprarão mais online e que as compras não serão efetuadas com antecedência. Em anos anteriores o ambiente promocional, anterior ao período natalício, impulsionava as compras. Também aqui verificamos mudanças importantes: os consumidores afirmam comprar menos antes do mês de Natal e comprar menos nos momentos promocionais.

Da análise da informação disponível, podemos afirmar que as compras de Natal são relevantes para os consumidores portugueses, mantendo-se algumas tradições. Os brinquedos para as crianças, as roupas e calçado para os mais velhos, os equipamentos tecnológicos para todos!

Independente das incertezas que ainda existem, há uma certeza: O valor médio a gastar em compras de Natal aumentou em 2021 e os portugueses têm a expectativa de celebrar este ano de uma forma mais intensa, ainda que para isso tenham de adotar novos comportamentos!

 

Mafalda Ferreira

Diretora da Licenciatura em Gestão de Marketing do IPAM Porto

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

quarta-feira, 29 dezembro 2021 11:03

bt nl

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing