Opinião

A influenciadora faz match com a sua marca?

Para uma marca selecionar o/os influenciadores com quem vai trabalhar tem em conta uma série de fatores. Felizmente, o mercado é neste momento muito profissional, com agências a disponibilizarem relatórios detalhados sobre os potenciais candidatos. Mesmo para quem está a iniciar-se neste meio do marketing de influência, e procura desde já ter alguma análise sobre a sua performance, imagem e audiência.

segunda-feira, 11 abril 2022 11:43
A influenciadora faz match com a sua marca?

Quais são os fatores que são tidos em conta?

1. Performance – Métricas como o alcance e a percentagem das pessoas que veem uma publicação, e reagem à mesma são das mais comuns. Note-se que o tipo de reação é muito importante. Mais que os likes, são os comentários, partilhas ou o guardar essas publicações que contam mais.

2. Imagem – Claro que a marca quer associar-se a quem tenha uma imagem que tenha a ver com o seu produto, ou mesmo capitalizar na imagem do influenciador para melhorar o seu posicionamento. Aqui o que normalmente é feito é analisar-se as publicações da influenciadora. A análise de utilização de linguagem ofensiva pode ser relevante.

3. Audiência – Saber-se a idade média e a dispersão geográfica da audiência é igualmente importante, especialmente para marcas que procuram ter resultados em determinado segmento e mercado. A avaliação do nível de atividade falsa é também recomendável para maiores investimentos: os bots de seguidores e de reações estão cada vez mais sofisticados.

4. Retorno de investimento – Que é tanto quantitativo, como por exemplo o custo por reação ou custo por mil impressões estimado, como qualitativo; quando se trabalha com uma influenciadora com elevada notoriedade, credibilidade e criatividade, está-se também a capitalizar na imagem dela e na autenticidade da sua comunicação.

Mas será que a influenciadora combina realmente com a sua marca?

Uma marca, se tem redes sociais, tem uma determinada personalidade, transmite certas emoções e sentimentos pela maneira como conversa nas redes. O mesmo se passa com os influenciadores e com as respetivas audiências.

Uma análise do feed de publicações, stories, vídeos pode dar uma noção da sua imagem. Mas dentro de um determinado vertical, como por exemplo produtos de beleza, como pode uma marca escolher entre influenciadoras que apresentam o mesmo nível de performance e retorno de investimento? Uma imagem de acordo com os parâmetros da marca e características de audiência equivalentes?

Existe um quinto fator de decisão: verificar se o influenciador e mesmo a respetiva audiência combinam com a marca, do ponto de vista de personalidade, emoções e de diversos sentimentos. A análise de sentimento disruptiva, detalhada, mas igualmente simples que propomos aos nossos clientes, permite rapidamente a uma agência ou marca comparar o nível de concordância do influenciador e da respetiva audiência com qualquer marca que tenha uma presença nas redes sociais.

Cada vez mais marcas estão a reforçar as suas competências nas áreas de análise de sentimento ou a utilizar a neurociência para otimizar os seus produtos e serviços. O caso da portuguesa MindProbe é paradigmático. Através destas plataformas inovadoras, este conhecimento e ferramenta de decisão passam a estar progressivamente ao alcance de todos. Tempos fascinantes!

 

António Filipe, cofundador da Skorr

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 

bt nl

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing