Publicidade

Publicidade nos telemóveis portugueses pode vir a duplicar

tlm_pub
Mais de 5 milhões de pessoas têm um ou mais telemóveis. Dessas, um terço já consulta internet no pequeno ecrã do seu smartphone. O universo em permanente crescimento é o mercado do mobile advertising, ou da publicidade nos telemóveis.
quinta-feira, 21 abril 2011 11:47



Os Estados Unidos e o Reino Unido foram os primeiros a responder à chamada deste segmento. Portugal, apesar de o oitavo país no mundo com mais telemóveis por habitante, ainda continua na cauda da Europa no que se refere ao mobile advertising.

Os especialistas e as empresas do sector têm grandes expectativas acerca do crescimento deste mercado. De acordo com o Interactive Bureau Advertising (IBA), prevê-se que em 2013 o número de pessoas a consultar a internet no telemóvel vai ultrapassar o número de pessoas que utilizam a internet fixa. “A maioria dos utilizadores recorre à internet no telemóvel para fazer pesquisas e procurar informação”, evidencia Laura Abarquero, responsável da Google pela publicidade móvel na Península Ibérica.

A evolução tecnológica alterou o comportamento dos consumidores. Laura Abarquero lembra que o telemóvel introduz outro factor importante: a geolocalização. “Podemos estar em Lisboa e localizar vários restaurantes ou hotéis no mapa”.

A Google lançou recentemente na Europa um sistema que permite identificar vários pontos de interesse através do telemóvel. A plataforma está disponível também em Portugal mas o interesse demonstrado pelos anunciantes é reduzido. Contudo, a Google ibérica tem esperança que dentro de um ano o investimento português em anúncios para telemóvel duplique. “A entrada do mobile em Portugal depende, neste momento, da solicitação dos anunciantes e não das empresas que disponibilizam os formatos”, conclui a Laura Abarquero.

A Google está neste momento a desenvolver diferentes formatos para publicidade móvel. Um dos modelos desenvolvidos é o click to call, que permite ao utilizador clicar sobre o anúncio e gerar uma chamada para o anunciante.

A empresa espanhola de segurança Securitas foi uma das que adoptou este formato de publicidade e em pouco tempo 25 por cento das chamadas recebidas passaram a ter origem num clique do telemóvel.

Laura Abarquero deixa o conselho para as empresas que queiram apostar na publicidade móvel: “a primeira coisa que têm a fazer é optimizar os seus sites para internet mobile”.

Fonte: Diário Económico
quinta-feira, 21 abril 2011 12:22

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing