Publicidade

Contar uma história em vários ecrãs. O desafio para agências e marcas

O Netflix é o quê? É digital ou é televisão? A questão foi lançada pelo CEO da Young & Rubicam Portugal, João Carlos Oliveira, no segundo pequeno-almoço de trabalho promovido pela Getty Imagens e pela Briefing. Respondendo ele próprio, sustentou que é cada vez mais difícil fazer essa divisão.

quarta-feira, 08 fevereiro 2017 12:05
Contar uma história em vários ecrãs. O desafio para agências e marcas

"Estamos a falar essencialmente em plataformas de comunicação onde existe uma coisa determinante que são os ecrãs, com que todos convivemos, seja o computador, seja o telemóvel, seja o televisor", sustentou, considerando, por isso, que também a questão do crescimento do digital vai deixar de se colocar. "A questão de crescer ou não crescer tem a ver com a capacidade tecnológica que permite passarmos de plataforma em plataforma, de ecrã em ecrã. Daqui a cinco anos o crescimento do digital não vai ser mensurável. Ninguém vai falar no crescimento do digital. É curioso como vivemos formatados. Falávamos do crescimento da imprensa, do crescimento da rádio porquê? Porque eram meios isolados. Não havia intersecção. Mas hoje, a primeira questão que se põe é o que é o digital".

Também o CEO da Havas, Pedro Graça, entende que se vive um momento de mudança de paradigma e que será necessário encontrar outras métricas, porque as atuais vão deixar de fazer sentido. Exatamente porque televisão e plataformas digitais estão cada vez mais juntas. "Do lado das agências, o grande desafio é como é que, dada a multiplicidade de ecrãs e a convergência que existe entre eles, conseguimos assegurar que se conta uma história que pode começar na net, passar pela televisão e ir parar ao PC".

"É essa a expectativa que as marcas têm. Como se constrói uma história com relevância para o consumidor e que nos permita estar em todos os meios para falar com as pessoas", reforçou a diretora de Comunicação Comercial do Millennium bcp, Ana Cidra.

Aliás, na ótica de Pedro Graça, "as agências andam todas à procura desta fórmula de uma história que se possa contar nas plataformas todas": "Durante muitos anos, a publicidade nos intervalos da televisão funcionava um pouco como o congresso do Partido Comunista Chines – havia um senhor que falava e os outros ficavam todos sentados a ouvir. Hoje em dia, a publicidade é como a carga dos guerreiros do Brave Heart... Temos de arranjar outras formas de chamar a atenção das pessoas. Quando estou a ver uma série é muito difícil que não avance se estou empolgado... Vai ter de ser noutro sítio que vou criar esse interesse".

Este conceito de contar histórias multiplataforma é já familiar para a Central de Cervejas, tendo sido a estratégia seguida, por exemplo, para o lançamento da Radler. De acordo com o diretor de Comunicação e Relações Institucionais da empresa, Nuno Pinto de Magalhães, a aposta assentou em compactos de histórias faseadas que visaram mostrar o que está por trás do nascimento de uma marca, trazendo "valor acrescentado ao diálogo com o consumidor". E, para alguns tipos de produtos, o digital permite o diálogo com o target de uma forma mais eficaz.

Porém, respondendo diretamente á questão suscitada por João Carlos Oliveira, da Y&R, Nuno Pinto de Magalhães afirmou que, para a Central de Cervejas, o Netflix ainda é televisão. E se o investimento em digital tem crescido, representando 16 a 17 por cento da ativação das marcas, a verdade é que a televisão também cresce. Aliás, dada a particularidade do produto – cerveja, água e cidra –, o grande investimento publicitário é em televisão e outdoor. E em televisão cresce porque as oportunidades d investimento também se multiplicaram: "No cabo, apareceu uma série de novos canais que passaram a ser interessantes para os targets com que queremos comunicar".

Este pequeno-almoço de trabalho foi ainda uma oportunidade para a responsável pela Getty Images em Portugal, Sofia Cardador, partilhar o melhor de 2016 em fotografia, com base numa seleção dos trabalhos assinados pelos profissionais da agência.

Este tema será alvo de desenvolvimento na próxima edição impressa da Briefing.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Vídeo

quinta-feira, 09 fevereiro 2017 09:20

bt nl

2050.Briefing

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing