Sonda: Modelo de financiamento é o maior problema dos media em Portugal

O modelo de financiamento dos media, resultante da quebra do mercado publicitário, é identificado pela maioria dos jornalistas inquiridos (86%) como o maior problema que o setor dos media atravessa em Portugal. A precariedade laboral do setor (62%) e a dificuldade em tornar pagos os conteúdos online (57%) são também identificados pelo painel. Os dados surgem como resultado da primeira edição da “Sonda + M / Central de Informação”, barómetro de media composto por 50 jornalistas portugueses em cargos de edição/chefia, de mais de 30 órgãos de comunicação social portugueses.
Já sobre um eventual modelo de financiamento público do setor, 90% dos inquiridos concorda, sendo que 38% do total identifica como melhor opção os vouchers de assinatura para os cidadãos. As outras opções mais votadas são as que assentam no financiamento diretamente via orçamento de estado, com critérios claros e transparentes, assentes em vendas, audiências, postos de trabalho efetivos, entre outros (19%) e com base na consignação de uma parte do IRS, como já acontece com as entidades do terceiro setor (19%).
Reprovados os debates de TV no âmbito das legislativas
Por último, e relativamente aos 30 debates que as televisões realizaram no âmbito das eleições legislativas, 57% considera que não foram úteis para esclarecer os portugueses. A larga maioria (75%) que reprova a iniciativa referiu que os debates não foram esclarecedores e as televisões dedicaram demasiado tempo a comentá-los. Dos 43% que os aprova, a maioria (56%) refere que nos debates foi possível conhecer as propostas de cada partido. O período de auscultação da primeira edição da “Sonda + M / Central de Informação” decorreu entre 27 de fevereiro e 4 de março de 2024 e obteve uma taxa de resposta de 42%. A Sonda é uma iniciativa do +M, do universo Eco, e da Central de Informação.

Quarta-feira, 06 Março 2024 15:00


PUB