A Adagietto mudou. Sabe como e porquê?

A agência de comunicação Adagietto acaba de sofrer um rebranding que é, ao mesmo tempo, uma mudança de posicionamento. O CEO, Miguel Moreira Rato, diz à Briefing que se trata de ajustar a marca à realidade de uma consultora de “storytellers, communications experts, team players”.

 

O processo de mudança iniciou-se com a aquisição da agência pelo próprio Moreira Rato. Depois, “mudou a forma de estar”: “Passámos de um conceito de boutique de comunicação, com um serviço a cliente de excelência e um grupo restrito de marcas, a agência de comunicação integrada, aberta ao mercado, com uma estratégia de new business mais disruptiva e com um trabalho holístico feito em parceria com as marcas”. Um terceiro passou foi a aquisição da Luneta Films, em maio deste ano, passando a Adagietto a trabalhar quatro áreas: Relações Públicas, Conteúdos, Vídeo e Digital.

Esta nova fase é acompanhada de uma mudança de instalações: “Porque também o local onde trabalhamos tem de dizer algo sobre nós”, resume Moreira Rato. “Este ano, em fevereiro, fizemos um retiro de equipa, de três dias, em que tomámos várias decisões, todas em conjunto. Decidimos que seríamos mais abertos ao mercado, que ‘gritaríamos’ ao mundo o bom trabalho que estamos a fazer, e também tomámos decisões sobre a cultura de empresa. Decidimos ser mais flexíveis, mais inclusivos, mais colaborativos. A comunicação dos nossos clientes merece que se juntem disciplinas, mesmo que de arranque não seja esse o âmbito de trabalho. Precisamos de cruzar conhecimento, independentemente do departamento a que este ou aquele pertence.  E, por isso, decidimos mudar para um cowork, onde as ideias e as competências fluem. Por outro lado, estávamos já bastante apertados, devido ao crescimento da agência dos últimos tempos. E por isso mudamos para uma casa maior, mais ampla, sem compartimentos ou ‘salas para as chefias’”, acrescenta.

briefing@briefing.pt

 

Segunda-feira, 16 Setembro 2019 08:26


PUB